O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) suspendeu a recomendação de uso no Brasil de 63 fungicidas utilizados no controle da ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi) na cultura da soja. O próprio ministério alerta que outros produtos que hoje estão registrados no Brasil deverão ter a recomendação suspensa nos próximos meses.

A medida já foi publicada no Diário Oficial da União e prevê a exclusão da recomendação de controle da ferrugem asiática da bula dos produtos até o dia 16 de março.

A medida foi pautada na avaliação de laudos de eficácia e pareceres técnicos pela Comissão Técnica de Reavaliação Agronômica de Produtos Formulados de Agrotóxicos para o Controle de Phakopsora pachyrhizina Cultura da Soja. A Comissão avaliou, em 2016, os fungicidas com ativos isolados, a partir de laudos de eficácia e pareceres técnicos enviados pelas empresas fabricantes. O trabalho da Comissão continua em 2017, com a avaliação de fungicidas formulados em misturas.

De acordo com a pesquisadora Cláudia Godoy, da Embrapa Soja, essa reavaliação vem sendo feita em razão da redução da sensibilidade do fungo Phakopsora pachyrhizi a alguns fungicidas. Muitos fungicidas registrados tiveram sua eficiência reduzida por adaptação do fungo, embora até o momento não tivessem seu rótulo alterado, podendo induzir o produtor a utilização de produtos com baixa eficiência e perdas de produtividade com essa doença.

Até o fim de semana, 52 casos de ferrugem asiática tinham sido confirmados nas regiões produtas de soja no Brasil. Com 19 casos, o Paraná é o Estado com maior número de focos, o que equivale a 36,5% do total.

Participe e comente