As colheitadeiras não trabalharam ontem nas lavouras de soja do noroeste do Paraná e com as chuvas do final da tarde e noite não deverão trabalhar também hoje e possivelmente amanhã, porém, pelo acompanhamento do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura, a colheita está adiantada em relação às safras anteriores. No ano passado, no dia 13 de fevereiro, ainda não tinham sido colhidos nem 20% da área plantada.

A colheita nos 32 municípios da área do Núcleo Regional de Maringá da Secretaria da Agricultura passou de 30%, mas nos municípios do Vale do Ivaí, como Itambé, Floresta, Ivatuba e Doutor Camargo, mais de 70% da lavoura já foram colhidos. Geralmente, assim que retiram a soja os produtores fazem o plantio do milho da safra de inverno.

Apesar de nos primeiros dias da colheita a produtividade estar aquém do esperado pelos produtores, o Deral manteve a estimativa inicial.

"Alguns produtores não conseguiram nem 80 sacas por alqueire, quando esperavam em torno de 120, mas isso é normal nos primeiros dias da colheita, quando é retirada a soja de variedades precoces ou semi-precoces", disse o técnico do Deral Moisés Barion Bolonhez. Segundo ele, na medida que a colheita foi avançando os números foram subindo e "tudo indica que vamos chegar próximo da previsão inicial, de 125 sacas por alqueire, em média".

Ele cita os casos de propriedades de Ivatuba e Paiçandu, que estavam colhendo menos de 100 sacas nos primeiros dias, mas já subiram para 130.

Itambé está sendo a grande surpresa dessa colheita. A produtividade média no município está em torno de 150 sacas por alqueire e a colheita, apesar dos vários dias de chuva, está praticamente finalizada.

Safrinha

O produtor Valdir Fries, de Itambé, por exemplo, já colheu 100% de sua produção e já teria plantado 100% da área destinada ao milho safrinha se não fossem as chuvas de domingo e ontem. Ele e sua equipa trabalharam fora de horário e nos finais de semana e pararam com 95% do milho plantado. "As chuvas não dão trégua para finalizar o plantio, mas é preciso ter calma, já que é o clima que dita as regras na agricultura".

Neste inverno a região de Maringá vai destinar 240 mil hectares para o milho safrinha, que deverão proporcionar uma produtividade média de 94 sacas por hectare. Se confirmada esta produtividade, a região vai colher 47% a mais do que no inverno passado.

No Paraná, a área plantada em 2016 foi de 2,2 milhões de hectares e este ano vai ocupar 2,3 milhões. A previsão de produção no Estado é 32% maior, passando de 10 milhões de toneladas colhidas na safra anterior para 13,5 milhões.


Participe e comente