O produtor Luiz Carlos Belini, que até 2015 produzia uma média de 150 litros de leite por dia, com 18 vacas, no ano passado conseguiu elevar a produção para 230 litros por dia com 14 vacas e quer chegar ao final deste ano com uma produção em torno de 300 litros, basicamente o dobro do que conseguia dois anos atrás.

"É uma meta ambiciosa? Fácil, não é. Depende de muito empenho e as técnicas certas, mas sabemos que isso é possível e os primeiros resultados mostram isso", diz o produtor familiar que, junto com a mulher, Maria, administra a Chácara Belini, uma propriedade de 3,5 alqueires em Iguaraçu (a 31 quilômetros de Maringá). Em um terço da propriedade o casal cria vacas leiteiras, uma pequena parte é destinada à criação dos bezerros e no restante planta milho para preparar a silagem usada na alimentação das vacas.

A Chácara Belini é participante do Projeto Vitória, desenvolvido pela Emater, em parceria com as universidades estaduais de Maringá e Londrina (UEM e UEL), Universidade Norte do Paraná (Unopar), Unicesumar, Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e Universidade Tecnológica do Paraná (UTF-PR), e baseia-se em uma estratégia metodológica que parte da realidade da propriedade rural, propõe desafios para aumentar a produção de leite, produtividade e renda por meio de tecnologias já validadas, avaliadas e difundidas.

Na semana passada, a Emater utilizou a chácara dos Belini como sede e modelo em um dia de campo que reuniu produtores de leite da região do Arenito Caiuá. O técnico Joel Carneiro dos Santos Filho, do Instituto Emater, lembrou que o trabalho do Projeto Vitória dá ênfase a alguns aspectos como a produção de alimentos (pasto e silagem), a nutrição e sanidade do rebanho, a reprodução, a estruturação da propriedade, o controle e a análise de custos de produção.

De acordo com o técnico, o produtor tem, ainda que regularmente, fazer as anotações das coberturas e partos, a pesagem dos animais e da produção de leite por vaca. "Também é feito o controle e registro das despesas e das vendas efetuadas, bem como a aplicação das recomendações técnicas recebidas", observou o profissional.

A produção de leite é uma atividade agropecuária complexa, mas com grande importância econômica e social pelo impacto no desenvolvimento regional. Segundo Joel Carneiro, os principais indicadores técnicos e econômicos mostram dificuldades de sobrevivência da atividade nos estabelecimentos da agricultura familiar.

Mudar o cenário produtivo dos municípios localizados na região do Arenito Caiuá, onde o tipo de solo é considerado inviável para muitas culturas agrícolas e mesmo para a pecuária, é o objetivo do Projeto Vitória, criando uma importante bacia leiteira. "Esse é o principal desafio", diz o técnico da Emater.

"No início tivemos que descartar algumas reses, passamos para vacas de outras raças e cuidamos mais da alimentação, de acordo com as orientações do Joel", de Luiz Belini. "Não acreditávamos muito no que ele prometia, mas os resultados já no ano seguinte mostraram que podemos produzir mais, muito mais, no mesmo espaço e com a mesma quantidade de vacas".

Participe e comente