Para boa parte dos agricultores da região de Maringá o feriado de Carnaval não existiu, assim como não existiram folgas nos finais de semana. Aproveitando a sequência de dias ensolarados, homens e máquinas trabalharam até por volta das 22 horas e com isso a colheita de soja deve chegar hoje a 65% dos 240 mil hectares cultivados com a leguminosa na região. Ao mesmo tempo, 65% da área destinada ao milho da safra de inverno já estão semeados.

Hoje, a maior parte dos trabalhos de colheita se concentra nos municípios da região do Arenito Caiuá, onde o plantio foi feito mais tarde. Já em municípios como Itambé, Ivatuba, Floresta e Doutor Camargo a colheita está praticamente encerrada e o milho plantado. Somente em municípios à leste de Maringá, como Mandaguari e Marialva, ainda há muita soja no campo.

Embora o governo estadual esteja anunciando uma safra recorde de soja, na área do Núcleo de Maringá da Secretaria da Agricultura a produção deverá ser "normal", como explica o economista Dorival Basta, do Departamento de Economia Rural (Deral). O volume pode parecer grande se comparado à safra passada, quando houve quebra em consequência do excesso de chuvas em dezembro de 2015 e janeiro de 2016.

"Essa safra foi um pouco prejudicada pela falta de chuvas logo após o plantio, em outubro e novembro, mas se recuperou bem com o equilíbrio do clima em dezembro e janeiro", disse o produtor Antonio Mologna, que planta nas proximidades do aeroporto de Maringá. Ele conseguiu uma produtividade média de 145 sacas por alqueire. "No começo da colheita fiquei com receio com a baixa produtividade, mas somente as plantas de sementes precoces produziram pouco por terem sido mais afetadas pelo período de estiagem".

Em Doutor Camargo, o produtor Jorge Pedro Frares também se preocupou enquanto estava colhendo as variedades precoces e semi-precoces, mas terminou a colheita com média de 150 sacas por alqueire, mesma média alcançada pelos seus vizinhos.

Segundo o Dorival Basta, do Deral, com a possibilidade de equilíbrio climático nos próximos meses, mais o fato de estar sendo plantado cedo, o milho deverá proporcionar uma excelente safra neste inverno no noroeste paranaense. A área a ser ocupada deverá ser 0,84% menor do que na safra passada, mas a produção deverá ser 47% maior.

No Paraná, além de se esperar uma produtividade maior por hectare, a área a ser plantada será maior. Em 2016 foi de 2,2 milhões de hectares e este ano vai ocupar 2,3 milhões, devendo render uma produção 32% maior.


Participe e comente