5,4 milhões de toneladas são cultivados este ano com soja no Paraná, segundo maior produtor nacional, atrás do Mato Grosso. A abertura simbólica da safra 2017/18, na região, será amanhã pela manhã como um dos destaques da Safratec – exposição promovida pela Cocamar em Floresta, região
de Maringá.

VITRINE A Safratec é a maior mostra tecnológica do agronegócio regional e acontece amanhã e quinta-feira na unidade demonstrativa da Cocamar, das 8 às 16h30.

PÚBLICO A previsão

da Cocamar é que mais de 6 mil produtores visitem a área de 500 mil metros quadrados ao lado da rodovia, onde cerca de 100 empresas e instituições estarão apresentando trabalhos, produtos e serviços.

MODERNIDADE Pela primeira vez no País em uma feira do agro, um robô vai interagir com os produtores, respondendo perguntas sobre soluções para aumentar a produtividade das lavouras.

NO AR E pra quem ainda não está acostumado com os drones, esses equipamentos utilizados em agricultura de precisão também vão invadir o Safratec.
QUEBRA Prepare o bolso. Confirmando o que a coluna informou na semana passada, a cultura do feijão foi afetada pelo excesso de chuvas e apresenta expressiva quebra de produtividade no Paraná.

DANOU Os produtores com lavouras menos prejudicadas pela umidade estão colhendo 1,5 mil quilos de feijão por hectare em média, 30% abaixo da estimativa inicial de 2.150 quilos. Os dados são da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab).

DEIXA PRA LÁ Em algumas regiões do Estado, nem compensa colher. A quebra é tão expressiva que talvez nem cubra o gasto com o combustível da máquina.

CONTRASTE A chuva que é demais por aqui está fazendo falta no coração do pampa argentino, onde a estiagem prejudica a produção de milho.
CLIMA Terceiro maior exportador mundial do grão, a Argentina vem sendo assolada pela seca.

REDUÇÃO Com isso, o saldo exportável de milho do país vizinho poderá ser de 23,5 milhões de toneladas, abaixo das 27 milhões projetadas no início.

OLHA O CAFÉ A produção brasileira de café deste ano, cujo desenvolvimento contou com boas condições climáticas, deve situar-se entre 54 e 58 milhões de sacas de 60 quilos.

VOLUME É a chamada safra gorda, lembrando a bianualidade característica dos cafezais, que alternam um ano de colheita cheia e outro de produção menor. Em 2017, o Brasil colheu quase 45 milhões de sacas.

CAMPEÃO Só o Estado de Minas Gerais, maior produtor nacional, deve responder por 29 a 30 milhões de sacas, seguido do Espírito Santo, com 12 a 13 milhões.

ATRÁS O Paraná, que já foi o maior produtor nacional de café, figura na sexta colocação e suas principais regiões cafeeiras são as dos municípios de Carlópolis e São Jerônimo da Serra.

DIFERENÇA Carlópolis, que fica no norte pioneiro, divisa com São Paulo, se destaca pela mecanização da cultura cafeeira, enquanto em São Jerônimo da Serra, região de Londrina, o trabalho ainda é todo manual.

EMBARQUES O Paraná se tornou o quarto maior exportador do País em 2017, segundo informações da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC).

BONITO NA FOTO A safra recorde de grãos e a retomada das exportações da indústria fizeram o Paraná ter o melhor resultado em faturamento nos embarques desde 2013.

CAMPO AJUDOU "Foi uma combinação de fatores favoráveis. De um lado a boa produção do campo, que elevou as exportações de soja e milho. Por outro, a retomada das exportações de manufaturados, que tem maior valor agregado", diz Julio Suzuki Júnior, diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes).

AUMENTO O Porto de Paranaguá havia fechado 2017 com a maior movimentação de cargas da sua história. Foram 51,5 milhões de toneladas operadas entre janeiro e dezembro, o que representou um aumento de 11% em relação ao recorde anterior, de 46,1 milhões de toneladas, alcançado em 2013.


Participe e comente