44% foi a participação do setor agro no montante das exportações brasileiras em 2017. Do total de 217 bilhões de dólares (17,5% a mais no comparativo com 2016), o campo contribuiu com 96 bilhões de dólares (13% a mais que em relação ao ano anterior).

QUER MAIS A China informou que vai ampliar o número de plantas frigoríficas para a importação de carne brasileira. O país asiático pretende aumentar a compra de produtos bovinos, suínos e avícolas ao longo deste ano.

NA FRENTE Os chineses são os principais importadores de produtos do agronegócio brasileiro. De tudo o que o setor destina para o mercado externo, 27,7% vão para a China, sendo que 76% do que aquele país compra, são soja em grão.

POSITIVO O agro, mais uma vez, fez a diferença na balança comercial do Brasil em 2017, com vendas externas que chegaram a 96 bilhões de dólares e importações no total de 14 bilhões. Com isso, o superavit da balança brasileira foi de quase 82 bilhões de dólares.

SALVOU Sem os produtos exportados pelo agronegócio, o Brasil, na soma de todos os demais segmentos da economia, teria um deficit de 14% no ano passado, em sua balança comercial.

AJUSTE Instrução Normativa nº 11 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), autorizou a redução da dose da vacina contra a aftosa de 5 mililitros para 2 mililitros.

MOTIVO Um dos principais objetivos na mudança da vacina será a injeção de menor volume de óleo mineral no conteúdo, com consequente redução de reações locais.

DÁ CERTO Alguns países vizinhos, como Argentina, Uruguai e Bolívia, já adotam essa prática, com resultados satisfatórios, tanto em diminuição das reações, quanto na preservação da potência da dose.
VITRINE Os agricultores
que visitarem o 30º Show Rural Coopavel, de 5 a 9 do próximo mês, vão ter R$ 2,5 bilhões em crédito para comprar máquinas, implementos, investir em cultivares e outras tecnologias, como placas solares, além de animais de alta linhagem genética para incrementar seus rebanhos.

CRÉDITO Nove instituições financeiras, entre elas o Sicredi, vão participar da edição comemorativa do evento, que é um dos maiores do mundo.

PREVISÃO O Show Rural contará com a presença de
530 expositores e a perspectiva de negócios, segundo a Coopavel, é de R$ 1,5 bilhão, com 250 mil visitantes.

ESTÁ DEVAGAR Em janeiro do ano passado, 34% da soja da safra brasileira 2016/17 já tinham sido vendidas antecipadamente. Neste mês de janeiro/2018, o porcentual é menor: só 30% estão vendidas por essa modalidade de comercialização.

SEGURANDO O Paraná é o Estado onde os produtores menos venderam soja antecipadamente. Só 22% nesta safra, contra 21% no ciclo anterior.

MENOS, AINDA Na região da Cocamar, o percentual de vendas antecipadas é ainda menor: somente 8% se utilizaram dessa ferramenta no atual ciclo 2017/18, contra 11% nesta mesma época
em 2017.
HERMANOS Especialistas explicam que há motivo para a redução do volume comercializado: a incerteza da produção na Argentina. Terceiro maior produtor global de grãos, o país vizinho pode inclusive ter quebra de safra devido às secas.

QUEM SABE Caso as
chuvas permaneçam irregulares na Argentina, a tendência é que os preços da soja subam, dizem os entendidos.

TÁ FEIO Mas na Argentina, já se fala que a produção
será mesmo menor, por causa da crise hídrica. No ano passado, o volume de soja chegou a 57,8 milhões de toneladas, conforme o Departamento de
Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Agora, a expectativa é de 52 milhões de toneladas para a nova temporada.


Participe e comente