As raças de bovinos, equinos, ovinos e suínos presentes na exposição apresentam o que há de mais apurado em termos de melhoria genética, segundo a organização. De acordo com o diretor de Pecuária da Sociedade Rural de Maringá (SRM), Jucival Pereira de Sá, a cada ano, os criadores incorporam novas tecnologias de reprodução e manejo, que refletem no avanço do padrão genético e na melhora da produção de carne, para atender às exigências do mercado mundial. "É um investimento alto. O resultado é apresentado nas pistas de julgamento e nos pavilhões da Expoingá", destaca.

Cerca de 7,5 mil animais estarão reunidos na 46ª Exposição Feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Maringá (Expoingá).

No setor de bovinos, a Etapa Dalila Cleopath Camargo Botelho de Moraes Toledo do Circuito Nacional do Nelore Mocho contempla a "nata" da raça e presta homenagem a uma das principais criadoras do país.

O Guzerá traz de volta a primeira raça zebuína a desembarcar no Brasil. "No Pavilhão Guilherme Meyer, a expectativa é saber qual vaca vai ser a campeã do tradicional torneio leiteiro", informam os organizadores.

Na ovinocultura haverá as finais nacionais das raças naturalmente coloridas e Suffolk, etapas mais importantes do calendário anual que consagram um segmento em alta no mercado. "A provisão é de pavilhão lotado e muitos negócios realizados", expressa o Departamento de Comunicação da Sociedade Rural de Maringá (SRM).

A programação tem, também, o retorno da prova de conformação dos cavalos Quarto de Milha, a elegância do Árabe e a marcha característica do Mangalarga. Já no pavilhão de pequenos animais, haverá cães, gatos, coelhos, aves, pássaros de gaiola e peixes ornamentais. ///Com informações da Assessoria de Imprensa


Cerca de 7,5 mil animais estarão reunidos na 46ª Exposição Feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Maringá — EDU CORRÊA/SRM


Participe e comente