Ricardinho, levantador e presidente, é aguardado para que o rumo do time seja debatido
Diretoria, porém, está otimista na continuidade do projeto, que já dura três temporadas

O esporte profissional maringaense viveu ontem mais um dia de "ressaca". Depois do Maringá FC ter a queda para a Segunda Divisão do Campeonato Paranaense decretada no domingo, nesta quinta-feira foi a vez do Copel Telecom Maringá "acordar" sem a vaga na elite da próxima temporada na Superliga Masculina de Vôlei.

No campo a Zebra garante que vai tentar dar a volta por cima. Já no vôlei, o futuro do Copel Telecom ainda é incerto. A previsão é que o rumo tomado pelo time comece a ser traçado a partir de hoje, pois o desembarque em Maringá de Ricardinho, levantador e presidente da equipe, só pôde ser marcado para o fim da noite desta quinta.

Segundo assessoria de imprensa, no entanto, "a decisão mais acertada para o Copel Telecom Maringá, a cidade e a torcida será tomada e a diretoria está otimista com a manutenção do projeto."

Menos patrocinadores

A dificuldade em encontrar patrocinadores é vista pelos diretores como o principal entrave na montagem de um elenco competitivo. Nas contas do clube, o investimento na folha salarial da equipe na atual temporada sofreu redução de 55% se comparada à edição anterior.

Já para explicar fraca atuação que culminou na derrota por 3 sets a 1 para o Juiz de Fora, na quarta-feira, e que sacramentou a saída do Copel Telecom da Superliga "A", as ausências dos ponteiros titulares da equipe foram sentidas.

Thiago Sens acertou sua transferência para o Modena, da Itália enquanto Fukuzawa, ao fim da fase de classificação, deixou Maringá para se apresentar aos treinos da seleção japonesa, que mira os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Na temporada 2013/2014, a que marcou a estreia maringaense na Superliga, o time chegou aos playoffs e acabou na oitava colocação. Na edição 2014/2015, a campanha foi um pouco melhor e a equipe, que também avançou para a segunda fase, encerrou a participação na divisão de elite do vôlei nacional em sexto lugar.

31.041
TORCEDORES
o time maringaense levou para o Chico Neto, considerando as 11 partidas que fez no ginásio na 1ª fase da Superliga 15/16. Ao todo, em casa e fora, foram 22 jogos, sendo 7 vitórias e 15 derrotas.


SUSPENSE. Time vai depender de reavaliação para se manter em atividade. —FOTO: JOÃO PAULO SANTOS/ARTPRESS

Participe e comente