Música, alegria e saudosismo marcaram a 29ª edição do Baile dos Pioneiros no último sábado, 7, no Parque do Japão. O evento, promovido anualmente pela Prefeitura de Maringá, por meio da Secretaria de Cultura, celebra a história dos desbravadores, destacando a importância de cada um para o desenvolvimento do município. A celebração reuniu mais de 600 pessoas e contou com a presença do secretário de Cultura, Miguel Fernando, bem como dos vereadores Do Carmo e Onivaldo Barris.

Mais de 190 pioneiros já foram homenageados no evento cultural, realizado desde 1989. Neste ano, além de entrega de placas aos 10 cidadãos condecorados, também ocorreu homenagem ao historiador da Secretaria de Cultura João Laércio, em função dos 30 anos de trabalho no setor de Patrimônio Histórico.

O título de pioneiro é dado a cidadãos nascidos ou que chegaram à cidade até 1960 e que realizaram cadastro no Patrimônio Histórico de Maringá. O processo que registra o ′novo′ pioneiro inclui preenchimento da ficha de cadastro disponibilizada pelo patrimônio, localizado no segundo piso do Teatro Calil Haddad. Devem ser informados dados básicos, como nome, documentação, nacionalidade e primeiras atividades exercidas em Maringá.

Confira os homenageados

Luiz Ferreira Viana, nascido em Caetés-PE, em 1936, veio para Maringá em 1959, procedente da mesma cidade. Estabelecido inicialmente na Rua Líbero Badaró, zona 7, foi trabalhar na máquina de café Fujiwara. Posteriormente exerceu a função de pedreiro.

Jovelina Viana, nascida em Caetés-PE, em 1932, veio para Maringá em 1959, procedente da cidade onde nasceu. Casada com Luiz Ferreira Viana, teve seis filhos e dedicou-se às atividades domésticas.

Antonia Laquanete Cordiolli, nascida em Pitangueiras-SP, em 1939, veio para Maringá em 1951, juntamente com a família. Trabalhou no sítio São José, na Estrada Guaiapó. Depois, casou-se com Laurindo Cordiolli, com quem teve seis filhos, todos nascidos em Maringá.

Lélio Cedaro, nascido em Cornélio Procópio-PR, em 1938, veio para Maringá em 1959, procedente de Uraí-PR. Pertenceu a várias corporações musicais de Maringá, e trabalhou em diversas farmácias da cidade. Aposentou-se como funcionário público, e nunca abandonou seu amor à música.

Laura Naomi Kawatsuka, nascida em Adamantina-SP, em 1951, veio para Maringá em 1957, procedente de Rolândia-PR. Trabalhou inicialmente nos serviços de bar e lanchonete, até que passou a se dedicar integralmente às atividades domésticas.

José Gregório dos Santos, nascido no Estado de Minas Gerais, em 1937, veio para Maringá em 1954, procedente de Curitiba. Trabalhou como padeiro, ensacador e motorista, vindo a se aposentar como funcionário público municipal, depois de 27 anos como motorista da Secretaria de Educação.

Orlando Cremoneze, nascido em Londrina, em 1944, veio para Maringá em 1953, procedente da mesma Londrina. Estabelecendo-se na Estrada Pinguim, lote 111, trabalhou como agricultor. Teve dois filhos, todos maringaenses.

Zulmira de Caires Cremoneze, nascida no Estado de São Paulo, em 1944, veio para Maringá em 1957, procedente do mesmo Estado de São Paulo. Trabalhando como agricultora, casou-se com Orlando Cremoneze, com quem teve dois filhos.

Santo Batista de Aquino, nascido em Brasília de Minas Gerais-MG, em 1954, veio do Estado mineiro para Maringá em 1960. Trabalhou na fábrica de Guaraná Andrade e foi ensacador. Atualmente é Presidente Municipal do Sindicato dos Aposentados de Maringá.

Yolanda Maria Panosso Linares, nascida em Jaboticabal-SP, em 1941, veio da cidade natal para Maringá em 1948. Estabelecida no sítio do Borba Gato, trabalhou muito tempo na lavoura. Teve dois filhos, todos maringaenses. ///PMM


HONRARIA. Dez pioneiros foram homenageados durante o baile que aconteceu no último sábado, no Parque do Japão, em Maringá; foi a 29ª edição do evento que já se tornou tradição — MARCIO NAKA/PMM


Participe e comente