Aos 25 anos, gerente financeiro do Noah Restaurant & Club em Maringá. O economista Felipe Carvalho Araújo não esperava chegar ao alto cargo de uma empresa tão jovem. Além de um bom currículo, foi sua rede de contatos que o ajudou, ou seja, seu networking funcionou.

Para Araújo, o mercado de emprego já é difícil. Sem contatos, fica ainda mais. Por isso, apostou em vínculos e causas. "Eu sempre fui envolvido com vários grupos, de jovens na igreja, filantrópicos. Dentro da faculdade me envolvi em grupos de pesquisa, movimentos estudantis. Isso é essencial, mas não só conhecer gente. O trabalho que você faz dentro desses grupos é determinante", aponta.

Nas regras do networking, ele acredita que "falar muito e fazer pouco" está entre as principais gafes. É importante evitar essas gafes, mas se elas já foram cometidas, como resgatar a rede de contatos? O consultor em desenvolvimento organizacional e coaching Agmar Vieira Junior defende que é preciso, primeiro, estar seguro de conhecer e entender a si mesmo.

"A partir do momento que você se conhece, consegue se posicionar melhor. Você sabe o que gosta, trabalha e valoriza, sem ser ou parecer soberbo", indica.

Desenvolvendo vínculos

Os relacionamentos precisam estar ativos para darem resultado, como uma vaga no mercado de emprego. Aliás, uma das falhas no networking é acionar os contatos somente quando se precisa de um trabalho. "Networking é uma questão de sobrevivência profissional, não só para conhecer pessoas, mas para agregar novos conhecimentos", ressalta Vieira Junior.

O consultor explica que os relacionamentos devem ser cultivados e até recriados. Nesse contexto, as redes sociais aparecem como ferramentas básicas para a comunicação. Se seu networking não está dando resultado, chegou a hora de ir a campo, ter iniciativa. "Você precisa ir ao encontro dessas pessoas, sair do casulo, mandar um whats, telefonar, tomar um café."

Para existir na rede de contatos e ser lembrado é necessário não ter medo de se expor, sem bajular ou ser egocêntrico, mas com foco e comunicação clara. "Poucas pessoas dão a efetiva importância a se manter uma rede de contatos ativa, não dão importância aos tempos que a gente vive hoje e às ferramentas que estão aí para ajudar", alerta o coaching.


VÍNCULOS. Felipe Carvalho Araújo, no Noah: cargo gerencial foi conquistado graças à sua rede de contatos. —FOTO: JC FRAGOSO

Participe e comente