Na Agência do Trabalhador de Maringá, o ritmo foi acelerado depois do feriado da padroeira Nossa Senhora da Glória. Na quarta-feira, centenas de pessoas foram até a nova sede, na Avenida João Paulino, para emitir a carteira de trabalho, procurar uma vaga ou pedir o seguro-desemprego.

Desde 31 de julho, a agência do trabalhador está instalada em uma área de 800 metros quadrados no Novo Centro, pertinho do terminal urbano - antes, ficava na Rua Joubert de Carvalho.

Instalada num prédio novo, a sede está dividida em dois pisos, o térreo foi destinado ao atendimento em geral. O segundo piso ficou para o administrativo, a emissão da carteira de trabalho e as entrevistas de seleção.

A média de atendimentos continua a mesma, são 500 senhas por dia para o público em geral. O espaço é amplo e há mais de 200 cadeiras para acomodar quem espera a vez. Segundo os usuários, até a dinâmica do atendimento melhorou.

A única fila visível é a da distribuição de senhas em razão da triagem e conferência de documentação. O procedimento é um pré-atendimento porque evita que as pessoas tenham de esperar até o balcão para saber que não podem ser atendidas por falta de documentos.

Esperançosa, Priscila Cláudia Batista da Silva, 34 anos, procura um emprego como atendente no comércio. Ela esperava sentada com a senha em mãos e elogiou o conforto do prédio novo. A expectativa é conseguir uma vaga de atendente no comércio. "Tenho experiência, mas fiquei dois anos fora do mercado de trabalho e agora estão exigindo maior escolaridade. Como eu não terminei o ensino médio, aceito o que aparecer", diz.

Rafael Fábio da Silva, 29, está à procura de uma vaga como ajudante de motorista de caminhão. Para ele, a localização da agência também ficou melhor. "Mais perto de tudo e do terminal de ônibus".

Em busca de uma vaga de auxiliar geral, Dulce Lopes da Silveira, 24, veio de Mandaguari e confirma. "É fácil de achar e tem espaço para a gente ficar. Ficou bonito também", conclui.

Mais adequado

Satisfeita com a "nova casa", a diretora da agência, Clarice Sobczack Chimirri, enfatiza que a transferência para um local adequado era uma demanda antiga. "O prédio anterior tinha problemas crônicos como a impossibilidade de climatização, em razão de uma instalação elétrica defasada, por exemplo", afirma.

Nos meses mais quen tes, o calor no prédio era difícil de suportar e, junto com o tempo de espera pelo atendimento, deixava as pessoas "mal humoradas". Os aparelhos de ar condicionado instalados não podiam ser ligados sob risco de queda de energia.

Outro problema que se agravou com o tempo foi a umidade. O mofo era tanto que afetava a saúde dos servidores. Clarice lembra que alguns dos colaboradores mal entravam na agência e já começavam a espirrar.

"Para um pessoa que tem rinite alérgica, o local era insalubre. Agora, tudo isso acabou. Estamos muito melhor acomodados aqui", comemora.

SERVIÇO
Agência do Trabalhador
Novo endereço: Avenida João Paulino Vieira Filho, n° 917 ( Novo Centro)
Horário de atendimento: Das 8h às 16h.


CONFORTO. Agência é climatizada e tem capacidade para acomodar mais de 200 pessoas sentadas. —FOTO: CAUHÊ SANCHES

Participe e comente