Muitas empresas estão, literalmente, colocando seus funcionários para correr - no bom sentido do termo -, e os benefícios são inúmeros. Ao incentivar os colaboradores a participar de corridas de rua, todos saem ganhando: o funcionário, que passa a ter melhor qualidade de vida, e a própria organização, que terá em seu quadro colaboradores mais dispostos e motivados.

E foi pensando nisso que, em 2013, a Unimed Maringá decidiu criar o "Energia Unimed", um grupo de corrida de rua formado por colaboradores, clientes e cooperados. O projeto começou com 30 participantes e atualmente tem mais de 130.

"Como somos uma empresa de saúde, temos o cuidado de proporcionar isso a todos os nossos clientes, sejam eles internos ou externos. A corrida proporciona melhora na saúde física e também agrega muito a saúde mental, pois melhora o relacionamento entre o grupo", explica o coordenador de Comunicação, Marketing e Relacionamento Empresarial da Unimed, João Noris.

De acordo com ele, os relacionamentos são fortalecidos devido à proximidade nos treinos e até nas viagens, já que muitos se reúnem para participar de provas em outros Estados.

Há dois anos, a Taky Empreendimentos também tem incentivado seus colaboradores a praticar corrida de rua e os resultados refletiram na organização. "Alguns não dormiam bem, outros eram sedentários. Hoje, temos um grupo de 30 pessoas que correm, e muitos o fazem diariamente. Eles vêm trabalhar mais dispostos e também ficam menos doentes, porque o organismo fica mais imune. Por isso, enxergamos esse incentivo como um investimento, e não uma despesa", explica o diretor da empresa, Rogério Yabiku.

Na Taky, os benefícios foram estendidos para as famílias dos funcionários. Maridos, esposas, filhos: todos podem participar. "Queremos mostrar que a empresa se preocupa não só com o funcionário, mas com a família toda", enfatiza Yabiku.

O assistente administrativo da Taky Empreendimentos, Alberto Nishimura, 52, aproveitou para colocar os dois filhos, de 21 e 24 anos, para correr com ele. "Eu era sedentário há anos e vivia pegando resfriado. Comecei a correr com a empresa há um ano e meio, mais ou menos, e só tive benefícios em termos de saúde. Minha imunidade melhorou e o cansaço diminui. Comecei a me sentir melhor e me preocupar também com a alimentação."

No Prever de Maringá, a prática da corrida também veio para somar. Segundo Gislaine Bueno, do departamento financeiro da empresa, houve uma melhora significativa no relacionamento interno. "O Prever é um grupo de empresas com vários segmentos e tem colaboradores de todos os ramos participando. Eles não tinham contato uns com os outros e agora estão interagindo por conta da prática da corrida. Isso melhora o ambiente como um todo."

Aproximadamente 60 funcionários do Prever já estão inscritos na prova Uningá Nigth Run - etapa Educação e Ensino, que integra o Circuito de Corridas Paraná Running, realizada por O Diário. Muitos eram sedentários e começaram agora, impulsionados pela iniciativa da empresa. Eles treinam três vezes na semana. Para Gislaine, a iniciativa aproximou os colaboradores da organização. "Os funcionários vestiram a camisa da empresa. Não é uma obrigação. Fazemos porque nos sentimos motivados a representar a empresa nas corridas."

As inscrições para a Uningá Night Run estão abertas e podem ser feitas pelo site www.paranarunning.com.br. A corrida ocorrerá no dia 25 deste mês e a largada será às 20h, no Parque do Ingá.


NOVO ESTILO DE VIDA. Apoiado pela Taky Empreendimentos, Alberto Nishimura trocou o sedentarismo pelo esporte. — JC FRAGOSO

Participe e comente