"Não existe idade para o talento", opina a empresária Ana Paola Incerti, que atua no ramo de eventos em Maringá há mais de dez anos. Na página oficial da empresa no Facebook, um post fixo deixa bem claro que, para trabalhar com ela, basta ter força de vontade e estar disposto a aprender sempre.

Com essa abertura, é comum que, na Bússola Eventos, pessoas com mais de 50 anos consigam uma chance de trabalhar. Outro fator que ajuda os mais experientes é o fato de ser contratos temporários de trabalho, o chamado freelancer. "Como realizamos uma série de eventos no decorrer do ano, muitos prestam serviço para nós por várias vezes", diz Paola.

A área de eventos, portanto, pode ser uma alternativa interessante para aqueles que querem recolocação no mercado de trabalho. A empresária cita o exemplo de uma funcionária de 55 anos que era dona de casa e começou a prestar serviços para a Bússola.

Iniciando com tarefas mais simples nos eventos, em pouco tempo a senhora já havia conquistado a confiança da equipe e chegado inclusive a assumir tarefas de mais responsabilidade, como a de cotação de fornecedores e prospecção de participantes.

"Costumo dizer que nossa empresa prepara as pessoas para o mercado. Como nem todos querem fazer trabalho freelancer o tempo todo, após a experiência em eventos certamente conseguem recolocação em empregos fixos. Foi o que aconteceu com aquela senhora de 55 anos", comemora.

A empresária do ramo de eventos está certa em investir no talento, sem levar em consideração a idade do trabalhador. Em diversas empresas é cada vez mais comum pessoas na faixa etária dos 50 aos 70 anos atuando de maneira produtiva e alcançando bons resultados.

Segundo o Weforum, o famoso Fórum Econômico Mundial, a pirâmide da idade para o mercado de trabalho está se invertendo, e muitos estão apenas começando a colher os seus melhores resultados no trabalho após os 50 anos de idade. No Reino Unido, aponta o estudo, é muito comum que a população com mais de 60 anos esteja empregada.

Envelhecimento

Em 2050, calcula-se que 30% da população será idosa. Em 2010, esse número era de 11%. Com a expectativa de vida aumentando sempre (em 2050 será de 80,7 anos) e a crise no sistema previdenciário, fatalmente a população vai trabalhar mesmo que tenha atingido a chamada terceira idade.

Pesquisas apontam que apenas 1/4 dos brasileiros sairá totalmente do mercado de trabalho na idade da aposentadoria. Os outros irão trabalhar em algum nível após a idade de se aposentar. A mesma pesquisa diz que 70% dos brasileiros querem se manter ativos após a aposentadoria.

Se depender da empresária maringaense, emprego não vai faltar: "não importa se a pessoa tem menos ou mais idade. O que importa é a vontade dela em crescer, aprender e estar disponível para o trabalho", afirma Paola.


QUALQUER IDADE. Ana Paola Incerti investe em talentos


Participe e comente