O Brasil é responsável por 32% do total das vendas, na América Latina, do mercado de vitaminas e suplementos alimentares, segundo pesquisa da Euromonitor International realizada em 2014. Esse dado demonstra a representatividade que o país já possui frente aos demais do continente latino-americano e também o quanto ainda é promissor, uma vez que a busca pela qualidade de vida e o bem-estar só crescem no País. Nesse sentido, Diego Diniz, sócio-fundador da Now Nutrição Esportiva, elenca oito dicas para quem quer investir em um negócio fitness, em especial no segmento de suplementação alimentar:

1. Segmento em pleno crescimento
O mercado de suplementação alimentar cresce 25% ao ano, ou seja, para se ter uma ideia, só em 2014, ele movimentou R$ 940 milhões num total de cinco milhões de consumidores, ou seja, apenas 10% da população nacional utiliza os produtos e serviços voltados à suplementação, segundo dados da ABENUTRI (Associação Brasileira de Empresas de Produtos Nutricionais). Por conta disso, já é possível estimar o potencial volume de consumidores que podem vir a demandar esse tipo de produto, dada a busca frenética por qualidade de vida, prática de exercícios, cultura fitness e esportiva. “O movimento instaurou-se tão fortemente na nossa sociedade que até as políticas públicas tiveram de se voltar para ele. Um exemplo disso, é a crescente instalação das ciclofaixas em cidades tradicionalmente urbanas, como São Paulo e Rio de Janeiro”, comenta Diniz.

2. Não é preciso já ter atuado no mercado de suplementação para investir nele
Numa rede de franquias, por exemplo, o importante é enxergar o novo negócio pela sua potencial lucratividade. O conhecimento técnico dos produtos e do mercado será oferecido aos franqueados com treinamentos e suporte à gestão comercial, tanto para o franqueado, como para a equipe de vendas.
3. Franquias de suplementação levam vantagem em relação a outras que atuam no mesmo segmento com produtos e serviços distintos. A suplementação alimentar atinge todas as idades e estilos de vida, com um impacto muito maior do que as franquias de outros segmentos, uma vez que, está ligado diretamente à alimentação. “Ou seja, há dois aspectos que a priorizam: a mudança de hábito para uma vida mais saudável começa prioritariamente pela alimentação; e trata-se de uma necessidade diária do consumo, conforme o cardápio que é elaborado”, enaltece Diniz.

4. Sendo uma rede de franquias, há todo o suporte ao franqueado
A diferença balizar entre de um abrir uma loja própria para a venda desse tipo de produto e uma franquia está no suporte que a franqueadora consegue oferecer. “Tendo know how no segmento e já tendo passado por diferentes momentos econômicos, sazonalidades e períodos, o franqueador consegue prever as oscilações que impactam seu negócio, de forma a criar mecanismos de contenção e de gestão que visam minimizar o sofrimento dos franqueados lá na ponta. “Além disso, a rede possui consultores de campo, oferece apoio ao marketing e à área comercial, incluindo o suporte nas operações administrativas e de gestão”, pontua Diniz.

5. Facilidade de negociação com os fornecedores
Ainda nesse comparativo, fazer parte de uma rede propicia a compra junto ao fornecedor pelo menor preço, visto que, a rede atua como intermediadora em prol do maior desconto para todas as suas unidades. “Em alguns casos, mesmo sendo intermediadora, a rede acaba permitindo a compra e o contato direto de cada franqueado com os fornecedores, prezando pela transparência nas relações”, comenta o executivo. “Além disso, em rede é possível oferecer a maior variedade de produtos, dado o poder de compra em larga escala e, consequentemente, garantir o menor preço, situações mais difíceis se você é um varejista único atuando no mercado, mesmo que com e-commerce”, aponta Diniz.

6. Qualidade garantida por órgãos competentes
Via de regra, os fornecedores que atuam nesse mercado têm seus produtos analisados por diferentes órgãos de qualidade, tanto internos quanto externos. E todos possuem histórico, com todos registros e laudos necessários para ingresso junto à ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), requisito obrigatório para trabalhar com esse tipo de produto no Brasil. Desta forma, o franqueado se sente mais seguro em oferecer aos seus clientes produtos amplamente certificados e com a chancela do fornecedor e do Estado.

7. Baixo investimento em relação a concorrência
Se comparado aos investimentos necessários para a abertura de uma loja de produtos naturais, estética ou beleza, o segmento nutricional é um dos que possuem o valor mais baixo do mercado. “Outra vantagem, é o rápido retorno, que, em geral, ocorre em apenas 18 meses, para que se recupere o capital inicial e comece a ver os lucros advindos da operação”, comenta Diniz.

8. Equipe bem treinada é a força motriz para o sucesso do negócio
Se, em geral, a mão de obra já é o maior desafio dentro de uma rede de franquias, nesse segmento mais ainda. É o que afirma o especialista. “Esse tipo de consumidor conhece os detalhes do que está consumindo e pergunta exatamente tudo a respeito. Os vendedores, portanto, devem ser muito bem treinados, sendo capazes de fazer um atendimento consultivo, tirando dúvidas e orientando sobre a parte técnica de cada produto”, finaliza Diniz.



Website: http://www.nownutricaoesportiva.com.br

Participe e comente