Um dos maiores ídolos da história do São Paulo, Raí chegou a um acordo nesta quinta-feira para ser o novo diretor de futebol do clube. O ex-meia substitui Vinícius Pinotti, que deixou pediu demissão na última quarta, após divergências com o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

O presidente se acostumou a apostar em voltas de ídolos para ajudar o clube. Em 2016, trouxe Marco Aurélio Cunha para ser diretor executivo, quando o time lutava contra o rebaixamento. Em 2017, apostou em Rogério Ceni como treinador da equipe, mas acabou demitindo o ex-goleiro na nona rodada do Campeonato Brasileiro.

O retorno de nomes de peso também foi comum entre os jogadores. O zagueiro Lugano voltou no início do ano passado, mas teve poucas oportunidades e saiu sem deixar saudades. O único que teve sucesso foi Hernanes, que voltou já durante o Brasileirão e foi fundamental na luta contra o rebaixamento.

Raí jogou no São Paulo entre 1987 e 1993 e entre 1998 e 2000. Conquistou cinco Campeonatos Paulistas, um Brasileirão, duas Libertadores e um Mundial no time tricolor. Atuou ainda por Botafogo-SP, Ponte Preta e Paris Saint-Germain e foi tetracampeão mundial com a seleção brasileira em 1994.

Agora, assumirá a vaga que era de Pinotti, que pediu demissão na quarta. A principal razão do desentendimento do ex-dirigente com Leco teria sido o futuro de Lucas Pratto. Sem o conhecimento do diretor de futebol, o presidente teria conversado com o Cruzeiro sobre uma possível transferência do argentino, o que intensificou um atrito que vinha acontecendo.


Participe e comente