Quatro jogos abriram nesta segunda-feira as disputas da chave principal do Torneio de Roterdã, ATP 500 holandês realizado em quadras duras. Em um destes confrontos, o alemão Alexander Zverev justificou a condição de atual quarto colocado do ranking mundial ao estrear vencendo o espanhol David Ferrer por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 6/3, em 1h24min de confronto.

Terceiro cabeça de chave da competição, o jovem tenista de 20 anos havia sido derrotado nos outros dois duelos que travou com o experiente Ferrer, de 35, ex-Top 10 que hoje ocupa a 39ª posição na ATP. Na primeira destas partidas, então contra um adolescente Zverev, o espanhol aplicou parciais de 6/0 e 6/1 sobre o adversário no Torneio de Hamburgo de 2014, antes de sofrer para voltar a derrotá-lo em três sets dois anos depois, em Pequim, na China.

Desta vez, porém, Zverev fez valer o momento bem melhor que vive no circuito profissional. Embora tenha sido superado com o saque na mão em dois games do duelo desta segunda, ele converteu cinco de seis break points para encaminhar o seu triunfo em sets diretos.

Com a vitória sobre Ferrer, o alemão avançou para enfrentar na próxima fase o italiano Andreas Seppi, que em outro duelo do dia bateu o português João Sousa por 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 1/6 e 6/2.

Outro tenista que confirmou favoritismo em Roterdã em sua estreia nesta segunda-feira foi Tomas Berdych. Sexto cabeça de chave, o checo passou pelo alemão Mischa Zverev por 7/5 e 6/3 e se classificou para encarar na segunda rodada o ganhador da partida entre o sérvio Viktor Troicki e o jogador da casa Jan-Lennard Struff.

Outro experiente espanhol que foi para a quadra em Roterdã nesta segunda, Feliciano López estreou com vitória ao bater o eslovaco Martin Klizan por 6/3 e 7/6. O seu próximo rival sairá do duelo entre o belga David Goffin, quarto cabeça de chave, e o francês Benoit Paire.

FEDERER - O Torneio de Roterdã também marca a volta de Roger Federer às quadras depois de ter conquistado o título do Aberto da Austrália, em janeiro, quando ganhou o seu 20º troféu de Grand Slam. Segundo cabeça de chave na Holanda, o suíço deu entrevista coletiva nesta segunda e exibiu empolgação ao comentar a possibilidade de reassumir nesta semana a condição de líder do ranking mundial, hoje nas mãos do espanhol Rafael Nadal, que luta para se recuperar de uma lesão.

Apenas 155 pontos atrás do espanhol, Federer precisa avançar às semifinais do torneio holandês para garantir seu retorno ao topo. "Vou tentar dar o meu melhor. Ter a opção de alcançar a primeira posição é altamente motivador e muito empolgante para dizer o mínimo", ressaltou. "Poder reconquistar este lugar seria incrível", completou.

Federer fará a sua estreia em Roterdã apenas na quarta-feira, contra o belga Ruben Bemelmans, que precisou disputar o qualifying para ingressar na chave principal. Caso avance pelo menos até as semifinais, o suíço voltará a ser líder do ranking pela primeira vez desde outubro de 2012. Com 36 anos, ele se tornará o jogador mais velho a ocupar a liderança, superando o norte-americano Andre Agassi, que alcançou o topo com 33 anos.


Participe e comente