Os bancários da Caixa Econômica Federal e dos bancos privados em Maringá decidiram nesta quarta-feira (23), em assembleia deliberativa, entrar em greve por tempo indeterminado. Com a decisão, as agências da CEF e dos bancos privados na cidade estarão fechadas a partir de quinta-feira. Somente os bancários do Banco do Brasil rejeitaram a paralisação ¿ com isso, as agências do BB na cidade seguem funcionando normalmente.

Os bancários reivindicam entre outras coisas, um reajuste salarial de 12%. Em Maringá, a assembleia da categoria que decidiu pela paralisação reuniu 220 bancários na noite desta quarta, no salão da Paróquia Santa Maria Goretti, na Zona 7, em Maringá.

Maringá e região ¿ que congrega 21 municípios ¿ contam com 121 agências bancárias e 25 postos de serviços espalhados em hospitais, postos de combustíveis, shopping entre outros concentrando 1,5 mil trabalhadores. Em todo o Brasil, são 420 mil bancários.

Segundo o presidente do Sindicato dos Bancários de Maringá e região, Claudecir de Souza, entre as reivindicações da categoria, cinco são essenciais para os trabalhadores. Eles pedem 12% de reajuste ¿ já incluídas a inflação e perdas salariais ¿ contra os 4,5% propostos pelos banqueiros na última rodada de negociações, dia 17 passado. A categoria quer também maior participação nos lucros.

Contraproposta
Os bancos oferecem participação nos lucros menor do que a paga no ano passado. A proposta atual é de um salário e meio, limitado a R$ 10 mil e 4% do lucro líquido do banco. No ano passado, os bancários receberam de participação nos lucros 2,2 salários, limitado a R$ 13,8 mil. Além disso, o sindicato pede a contratação de mais funcionários para evitar a sobrecarga de serviços.

¿Queremos também o fim das metas abusivas e o fim do assédio moral¿, completa Souza.O salário inicial de um bancário é de R$ 970,00, considerado baixo pelo sindicato. ¿Pedimos a compreensão da população porque é uma reivindicação justa. Os bancários trabalham sob pressão e têm muita responsabilidade, mas isto não é reconhecido¿, avalia. A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) diz que os bancários não apresentaram nenhuma contraproposta depois da reunião do dia 17 .

No Estado
O movimento da categoria é nacional. Em Curitiba, os bancários também aderiram ao movimento e decidiram pela paralisação. No Paraná, outras cidades também devem ter agências fechadas.

 

VEJA TAMBÉM


Participe e comente