Com a crise econômica e a instabilidade política cada vez mais evidentes no Brasil, a internacionalização tem se tornado uma alternativa para as companhias brasileiras que tentam manter as suas contas operando no azul. Para se ter uma ideia, tal prática alcançou um crescimento de 7% no país em 2015. Os dados são de um estudo realizado pela Fundação Dom Cabral (FDC), que também investigou a capacidade das multinacionais brasileiras de se adaptarem à cultura dos países em que atuam.

De acordo com a pesquisa, a diferença cultural é, em muitos casos, subestimada pelas empresas, o que faz com que esse seja o principal fator que culmina nos fracassos das operações internacionais. “As primeiras barreiras a serem vencidas na hora de empreender em um novo país é o domínio do idioma e o entendimento da cultura local. E é aí que o serviço de tradução profissional entra em cena para ajudar”, diz Aleksander Honma, Diretor da Netwire, empresa especializada na área.

Websites, manuais técnicos, softwares, testes de produtos, embalagens, treinamentos, materiais de marketing, documentos e contratos estão entre os vários meios utilizados por uma companhia para ingressar em um novo mercado. Segundo Honma, a qualidade da versão traduzida desses materiais para qualquer idioma deve ser entendida como um quesito de extrema importância, levando em conta fatores que vão muito além de um texto bem escrito. O processo exige amplo conhecimento da cultura, da terminologia local e dos aspectos políticos, econômicos e legais do país do idioma de destino.

Como exemplo, ele cita a tradução de softwares, que precisa garantir que o público estrangeiro receba as mesmas instruções que o usuário do idioma de origem, porém com adaptações à sua realidade local. Para isso, a Netwire também adota como prática o chamado “Teste de Localização”, que avalia a tradução no ambiente do software, além de adaptar termos e conceitos específicos que se aplicam apenas ao país do idioma de destino.

“Essa é uma etapa muito importante para garantir o sucesso do trabalho, pois identifica os possíveis problemas antes do lançamento, adequando os aspectos técnicos de programação e layout, bem como questões culturais e linguísticas do país de sua utilização”, explica. “Fabricantes de softwares de todo o mundo já consideram o teste de localização – que deve ser feito por um profissional nativo – um fator primordial para romper com as barreiras do idioma e possibilitar o aumento de vendas”, conclui Honma.

Mercado promissor
Um estudo feito pela Common Sense Advisory, líder de pesquisa e análise independente do setor de tradução, estimou que o mercado global de serviços e tecnologia de idiomas faturou US$ 40 bilhões neste ano. Os dados ainda apontam que esse tipo de serviço está crescendo a uma taxa anual de 6,46%.

Entre os segmentos atendidos por esse mercado, o de TI se destaca como um dos mais promissores. Segundo a Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), as empresas nacionais de TI exportaram R$ 4 bilhões no último ano. A entidade avalia, ainda, que o ano de 2016 deverá ser encerrado com um acréscimo de 12%.

Sobre a Netwire
Criada em 2000, a Netwire é líder de mercado na América Latina e realiza traduções para qualquer idioma. Com escritórios no Brasil e na Argentina, a empresa atende cerca de 25 segmentos de mercado e possui uma rede de centenas de tradutores nativos homologados, residentes em diversos pontos do planeta. Somente nos últimos cinco anos, a Netwire processou mais de 110 milhões de palavras, entregando uma média de 400 projetos por mês.

Receba todos os dias no seu e-mail as principais notícias de Maringá e região
Só um envio por dia. Cancele quando quiser

Participe e comente