Michael Flynn, o ex-assessor de Segurança Nacional do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não honrou uma intimação emitida por um comitê do Senado que investida a suposta intromissão russa nas eleições do ano passado, segundo o presidente do comitê, o senador republicano Richard Burr. Ele disse a repórteres nesta quinta-feira que o advogado de Flynn afirmou que ele não fornecerá os documentos exigidos pelo Congresso.

Através de seu advogado, Flynn pediu por imunidade da "acusação injusta" em troca de concordar na cooperação do comitê. Os senadores investiram um possível conluio entre a Rússia e o presidente Trump em sua campanha em 2016. Fonte: Associated Press.

Participe e comente