Apesar da queda constante no número de casos de intoxicação alimentar no Brasil, a quantidade de pessoas que adoecem em decorrência do consumo de bebidas e alimentos contaminados ainda é grande. Durante o ano 2017, já foram registrados pela Vigilância Epidemiológica 133 surtos de intoxicação e 2014 pessoas doentes em todo o país. Os alimentos à base de carne são apontados como os maiores vilões nestes casos, pois a sua composição favorece o crescimento e proliferação de microrganismos. Considerando estes dados, é fundamental que os frigoríficos voltem a sua atenção a questões de higienização buscando sempre o bem-estar dos seus consumidores e a qualidade de seus produtos, pois muitas vezes a contaminação do alimento acontece na indústria, que não realizou a correta higienização de suas instalações.

Os frigoríficos precisam se adequar a necessidade de seus consumidores e adotar práticas de higienização compatíveis a esta obrigação. Os gestores devem ficar atentos a estas práticas, pois a higiene não se limita apenas a processos de limpeza, fatores como o ambiente, o alimento e o manipulador de alimentos influenciam nesta questão. A empresa que busca elevar o padrão de limpeza deve adotar um programa de higienização bem estruturada com medidas físicas e químicas aptas para garantir um processamento seguro da carne.
Independentemente de ainda houver contaminação de alimentos, é nítida a evolução da higiene no setor da indústria de carnes que passou a se preocupar muito mais com a limpeza de suas plantas, principalmente pela complexidade dos equipamentos modernos que exigem uma atenção maior para limpeza e desinfecção correta. Um fato que comprova esta evolução, é que antigamente era comum o uso de materiais como cloro, soda e permanganato na higienização de frigoríficos, porém estes químicos comprometiam o resultado final do trabalho, visto que alguns fatores que influenciam na limpeza não eram levados em conta como o método de limpeza, procedimentos, métodos de controle, água e capacitação dos profissionais.

Para alcançar bons resultados é indicado que sejam seguidos alguns procedimentos no momento da limpeza, confira um passo a passo padrão para higienização de frigoríficos: desmonte os equipamentos, remova todas as partículas sólida, enxágue com água morna, coloque detergente ou gel, escove as áreas críticas, enxágue com água potável, passe desinfetante e enxágue novamente.

Outros itens que merecem atenção especial, são as câmaras frigoríficas e caminhões, por não fazerem parte do processamento dos alimentos, estes ambientes são negligenciados pela indústria e se tornam um meio para proliferação de bactérias e microrganismos. De nada adiantará ter um processo com higiene correta, se o local de armazenamento estiver contaminado. As câmaras frigoríficas exigem o mesmo cuidado concedido a outros locais da indústria, com procedimentos físicos e químicos apropriados para higienização, além de um fluxograma de entrada e saída de produtos. Já os caminhões devem ser higienizados sempre após o descarregamento com produtos que realizem a desinfecção do ambiente e com jateamento de alta pressão. Para este último quesito, são necessárias Mangueira para Vapor Frigorífico como as da Acflex , capazes de realizar o trabalho com o máximo de eficiência, além de serem brancas, o que as tornam ideais para serviços de limpeza de acordo com as normas sanitárias.

Com todos estes cuidados o produto será oferecido ao consumidor, inócuo e com propriedades nutricionais que o satisfaçam. Empresas que adotam estratégias adequadas de higiene aumentam a segurança alimentar e a vida útil de seus produtos, propicia melhora na imagem da empresa, crescimento de mercado e maiores margens de lucro. Invista!


Participe e comente