A juíza Maria Cecília Leone, da 10ª Vara Criminal de São Paulo, condenou a nove anos de prisão em regime fechado o ex-auditor fiscal da Secretaria Municipal da Fazenda Luís Alexandre Cardoso de Magalhães, apontado como operador da Máfia do ISS, esquema de cobrança de propinas descoberto pela Prefeitura e pelo Ministério Público Estadual em 2013, que teria desviado R$ 500 milhões em valores da época. Ele poderá recorrer em liberdade.

Magalhães, famoso por uma entrevista dada ao Fantástico em que disse ter gastado toda sua cota dos recursos desviados com prostitutas, foi condenado após ter sido flagrado, em junho de 2015, cobrando propina de dois ex-colegas de Prefeitura para não incluí-los em uma delação premiada que vinha sendo negociada com o Ministério Público. O MPE e a Polícia Civil, cientes da ação do suposto c colaborador, montaram uma operação no momento em que ele receber o dinheiro, R$ 70 mil, e o prenderam em flagrante.

A prisão foi relaxada no dia seguinte, em audiência de custódia conduzida pelo juiz Marcos Vieira de Morais, do Departamento de Inquéritos Policiais (Dipo) de São Paulo, mas Magalhães continuou respondendo este e outros processo criminais de que é alvo.

As investigações, que contaram com a colaboração dos servidores extorquidos, havia apurado que, antes do flagrante, Magalhães já havia obtido R$ 100 mil de um deles, após um pedido original de R$ 500 mil.

Participe e comente