O Centro Mackenzie de Liberdade Econômica promove na segunda-feira, 16 de abril, a partir das 8h, no auditório da Escola Americana (Rua da Consolação, 930 - São Paulo), o primeiro Encontro de Segurança Alimentar da América do Sul, com o objetivo de discutir os problemas gerados pelo intervencionismo estatal em países da América do Sul e a redução de consumo nas sociedades capitalistas.

O debate terá como foco a crise social e humana da fome na Venezuela e contará com a participação (confirmadas) do presidente Confederação Nacional de Produtores Agropecuários da Venezuela, Aquilles Hopkins González; de Carlos Odoardo Albornoz, presidente da Federação Nacional de Pecuaristas da Venezuela; de Nilson Zambrano, professor da Fundácion Alberto Mariani e consultor de agronegócio; de João Martins da Silva Jr. presidente da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária; do presidente da Sociedade Rural Brasileira, Pedro de Camargo Neto; de Antônio Mello Alvarenga, presidente da Sociedade Nacional da Agricultura, e de Márcio Lopes de Freitas, presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras, que analisarão e farão propostas de ações e de apoio à segurança alimentar sul-americana.

Cenário
Os países sul-americanos como a Venezuela, que assim como o Brasil, não conseguiram crescer de forma consistente e estão presos no estatismo e na armadilha de renda média. Como pano de fundo teremos uma discussão pública da atual crise alimentar enfrentada pela Venezuela, com momentos de especial preocupação no setor da produção agrícola e pecuária devido ao fato de que, nos últimos anos, a produção de alimentos diminuiu por várias razões, entre as quais as decisões erradas do governo no âmbito de uma estratégia socioeconômica destinada a controlar todas as áreas da sociedade e, o que levou, a uma severa restrição das liberdades econômicas.

Os erros das políticas setoriais, sem a ajuda de análises sérias e consultas prévias, geraram um estado de insegurança, aumento excessivo nos custos de insumos (fertilizantes, herbicidas, máquinas, etc.) e desequilíbrios na cadeia alimentar, resultando em uma situação que levou a uma redução nos níveis de consumo da população e na diminuição do peso e altura de seus cidadãos, bem como de gerar menor acesso à alimentos e preços mais altos que restringem a compra desses produtos.

Para 2018, espera-se que a situação seja ainda mais dramática uma vez que, no segundo ciclo de plantação, concluído em novembro de 2017, apenas 30% da área utilizável foi plantada e as áreas de produção ilegalmente ocupada pelo Governo Nacional foram expropriadas de seus legítimos proprietários, além dos confiscos de produção.

O primeiro Encontro de Segurança Alimentar da América do Sul é gratuito e aberto ao público, tendo tradução simultânea. Para participar, basta realizar sua inscrição pelo link.

Para cobertura do evento, o jornalista deve encaminhar solicitação para o e-mail: [email protected], nome completo, RG, cargo e veículo.

Serviço
Encontro de Segurança Alimentar da América do Sul
Data: 16 de abril de 2018, às 8h
Local: Auditório da Escola Americana
Rua da Consolação, 930 - São Paulo
Gratuito e aberto ao público (tradução simultânea)
Para participar, basta realizar sua inscrição pelo link.
http://www3.mackenzie.br/eventos/index.php?evento=3492&&utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=Centro+Mackenzie+de+Liberdade+Econ%F4mica+promove+o+primeiro+Encontro+de+Seguran%E7a+Alimentar+da+Am%E9rica+do+Sul+-+2


Participe e comente