O líder da bancada do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta, afirmou não ter comparecido a Curitiba em "nenhum dia de sessão" na Casa e que "são absolutamente ridículas" ações populares do Movimento NasRuas para que parlamentares que foram prestar solidariedade a Lula preso devolvam seus dias/salário.

NasRuas encabeçou em 2016 o impeachment da ex-presidente Dilma. Na semana passada, o movimento levou à Justiça um bloco de ações populares contra seis parlamentares - subscritas pela jornalista Joice Hasselman, pela líder do movimento, Carla Zambelli e pelo advogado Júlio César Martins Casarin - que miram os senadores Lindbergh Faria (PCdoB/RJ), Roberto Requião (MDB/PR) e Gleisi Hoffman (PT/PR) e, ainda, os deputados federais Wadih Damous (PT/RJ) e Paulo Pimenta (PT/RS) e a deputada estadual pelo Rio Grande do Sul Manuela D'Ávila (PCdoB).

O movimento questiona o suposto uso de verbas públicas para "atividade de cunho particular".

Segundo NasRuas, os parlamentares "então de plantão no local, recebendo do erário público para não trabalhar".

"Estranha a história", reagiu Paulo Pimenta. "Eu não estive em Curitiba nenhum dia de sessão. Eu fui a Curitiba em uma reunião da executiva nacional do PT."


Participe e comente