A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta quarta-feira, 13, a Operação Humo, para desarticular rede de distribuidores de cigarro de origem paraguaia com atuação nos três Estados da região Sul e no Uruguai.

São cumpridos 53 mandados de busca e apreensão e 22 de prisão nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Cerca de 200 policiais federais e 80 policiais rodoviários federais participam da ação.

São alvos da ação policial depósitos de mercadorias, estabelecimentos comerciais e endereços residenciais vinculados aos investigados. Também são objetos da operação o sequestro de bens (32 veículos) e o bloqueio de valores de contas bancárias de 16 pessoas.

O inquérito foi instaurado pela Polícia Federal em Chuí (RS) em setembro de 2017, a partir da apreensão de uma carga de 70 mil cigarros contrabandeados, que seria distribuída no Uruguai, onde essa mercadoria é vendida por valor mais alto do que no Brasil.

A partir dessa apreensão, os investigadores iniciaram o mapeamento de uma grande rede de distribuição da mercadoria ilegal para diversos pontos do Rio Grande do Sul, principalmente para Porto Alegre e região metropolitana, Pelotas, Rio Grande, litoral sul do Estado e cidades da fronteira com o Uruguai. Também foram identificados distribuidores do contrabando em Foz do Iguaçu e Marumbi, no Paraná, e na cidade catarinense de Palhoça.

Desde o início da investigação, foram apreendidos pela PF e pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) mais de 1,4 milhão de maços de cigarro, presas 34 pessoas em flagrante e apreendidos 31 veículos avaliados em mais de R$ 900 mil, no âmbito da Operação Humo. Somente com essas apreensões, a estimativa de créditos tributários evadidos supera R$ 10 milhões.

Os crimes investigados nesta operação são contrabando, organização criminosa, corrupção de menores, lavagem de capitais e falsidade ideológica.


Participe e comente