A falta de mão de obra qualificada necessária para atender a demanda da construção civil faz com que o setor invista em pesquisas e encontre técnicas capazes de tornar as obras mais rápidas sem que a segurança e a sustentabilidade ambiental e econômica sejam deixadas de lado.

Entre as tecnologias para construir mais rápido e com menor custo está o steel framing, já bastante disseminada nos Estados Unidos e que vem conquistando os brasileiros. Diferente do sistema construtivo em alvenaria, prevê a construção de imóveis com base em perfil metálico revestido com drywall ou placas de madeira OSB.

Segundo o engenheiro civil Mauro José de Souza Araújo, também professor dos cursos de Engenharia Civil e Arquitetura do Cesumar, de quebra o steel framing proporciona conforto acústico e térmico, já que entre essas placas podem ser empregados isolantes à base de lã de rocha, lã de vidro ou lã de garrafa de plástico reciclável (PET). Já externamente, o acabamento pode ser realizado com uma placa cimentícia feita com a mistura de papelão e cimento.

Divulgação

Estrutura em perfil metálico, steel framing é sinônimo de obra racional, rápida e limpa

Legenda

"Um dos principais cuidados que o profissional deve tomar é com relação às emendas. Caso elas não estejam corretamente alinhadas, a água pode infiltrar entre as placas e causar inúmeros prejuízos ao imóvel", explica o docente.

Dentre os benefícios do steel framing está a agilidade com que a obra é concebida. A estimativa é que em até três dias a estrutura esteja toda montada e que a obra custe até 40% menos do que a de alvenaria. Além disso, outros pontos positivos são leveza e resistência. Vale lembrar que a técnica pode ser empregada tanto na construção de imóveis populares, de alto padrão e comerciais como em condomínios verticais.

Segundo o engenheiro civil e gerente regional do Crea-PR, Hélio Xavier da Silva Filho, outra vantagem do steel framing é a sua maleabilidade. "Com esta técnica é possível que o morador, futuramente, mude todo o estilo arquitetônico de seu imóvel sem que sejam necessárias grandes demolições", afirma.

Em compensação, os principais impeditivos para a popularização do steel framing no mercado nacional é a falta de mão de obra especializada. A cultura do brasileiro, resistente às mudanças, também é vista pelos especialistas como uma barreira para a expansão da técnica no Brasil.


Outros sistemas

O docente destaca que outra técnica que permite executar obras com mais rapidez, entre outras vantagens, é o wood framing, um processo construtivo que antecedeu o steel framing. "A diferença é que, ao invés de uma estrutura metálica, o wood framing consiste em estrutura de madeira. Os processos isolantes e de acabamento são os mesmos do steel framing", diz.

Como não existe queima para a fabricação de tijolos (já que dispensa seu uso) e a madeira utilizada é legalizada, o impacto ambiental é mínimo. Além disso, o sistema construtivo batizado de solo-cimento, mais antigo, também é capaz de diminuir os custos, danos ambientais e agilizar a obra. Neste caso, paredes da obra, como o próprio nome sugere, são levantadas com terra e cimento, formando tijolos ecológicos (também sem queima).

Trata-se de opção ideal para imóveis ‘residenciais de descanso’, uma vez que seu acabamento rebuscado cria uma ótima harmonia com a natureza. "Nestas construções, muitas vezes nem é preciso o emprego de argamassa. O trabalho é artesanal e o resultado final é muito bom", afirma Araújo.

Pensando a longo prazo, uma tecnologia que deve chegar à construção civil brasileira somente daqui a alguns anos é a aerogel. Importado do mercado aeroespacial, a promessa é que as construtoras tenham à disposição, leveza e um dos mais eficientes isolantes térmicos já desenvolvidos.

Além dessas técnicas, de acordo com Silva Filho, outra alternativa de construção seca, limpa e com custo reduzido utiliza peças de concreto pré-fabricadas. "Esta é uma ótima opção para execução de projetos de grande porte como shoppings", detalha.

Participe e comente