Uma reforma no layout, a escolha certa dos acessórios de decoração e até mesmo a cor das paredes do imóvel, tudo isso pode impactar positivamente não só na produtividade dos funcionários como no aumento das vendas. Afinal, a decoração de um ambiente pode sim estimular o cliente a permanecer mais tempo em uma loja ou lanchonete, por exemplo, o que pode resultar em mais gastos, ou surtir o efeito contrário, afugentar a clientela.

Por isso, a decoração do espaço é um elemento estratégico e deve ser planejado para resultar num ambiente produtivo e que ao mesmo tempo traduza a identidade da marca, do serviço ou do produto oferecido. "A ambientação deve estar de acordo com o ramo de atividade de cada empresa, ou seja, cada tipo de atividade determina a maneira de decorar, desde a pintura das paredes até a escolha dos móveis", explica a arquiteta Layane Nunes.

Os ambientes podem receber o toque pessoal de cada proprietário, porém os clientes não devem ser esquecidos na hora da elaboração, pois se a decoração não for agradável os objetivos da empresa não serão alcançados e, consequentemente, o rendimento tende a cair.

Divulgação

Decoração é o cartão de visitas de uma empresa - Divulgação

Os ambientes devem ser planejados de acordo com a necessidade e proposta de cada empresa

"Normalmente em empresas de alimentação trabalha-se com cores mais forte e tons quentes, equilibrados com tons neutros. Nas clínicas, o recomendado é usar tons mais neutros combinados com tons pastéis, mas esses detalhes deixaram de ser uma regra, já que todo o projeto depende do propósito a ser alcançado", comenta ela.

Por isso, a orientação é procurar um profissional da área, que vai estudar a empresa, seus recursos e produtos e, assim, interpretar e transferir todos esses detalhes para o projeto.

Para a arquiteta, em geral, alguns fatores como o conforto, luminosidade, acústica, normas e legislação, uso das cores, a logomarca da empresa e a utilização de materiais duráveis e de fácil limpeza e higienização devem ser estudados e contemplados no projeto de decoração do ambiente de trabalho.

Com relação à luminosidade, ela não pode ser nem demais e nem de menos, pois em qualquer uma das situações, o excesso ou a falta, vai gerar alguns transtornos aos usuários do local.

Os focos mais elaborados de luz devem ficar em áreas como hall, recepção e áreas de passagem. "A iluminação é fundamental para a valorização de espaço interno, necessitando de um projeto luminotécnico detalhado para a sua implantação", ressalta a especialista.

Os móveis também são peças coringas na decoração e devem contribuir para a organização do espaço, evitando papéis espalhados sobre as mesas e documentos mal arquivados. Objetos como quadros, vasos, plantas e painéis personalizados, entre outros elementos decorativos, precisam estar presentes nos ambientes corporativos, mas na medida certa para que não gerem dispersão e confundam os usuários.

Visual merchandising

Várias lojas têm adotado estratégias de visual merchandising para que o cliente se identifique com a loja. A técnica utiliza ferramentas para despertar os cinco sentidos dos clientes (olfato, audição, visão, tato e paladar), para transformar a compra numa experiência sensorial.

O ambiente de trabalho é um local no qual se passa muito tempo, por isso é fundamental que ele conte com todos os recursos necessários para gerar conforto e estimular a produtividade.

INVISTA NAS CORES

• Amarelo: cor do estímulo e da criatividade. É indicado para escritórios e cantos de estudo.

• Azul: tem efeito calmante e, em alguns casos, restaura o equilíbrio ao criar um ambiente mais aconchegante.

• Branco: não compromete o ambiente e transmite elevada percepção do espaço.

• Verde: favorece o descanso e ajuda a combater o estresse.

• Vermelho: capta e chama a atenção, evocando energia e sensualidade. Um móvel ou uma única parede já é suficiente.


Participe e comente