A compra dos móveis da casa nova esbarra em três possibilidades: comprar pronto, solicitar um projeto personalizado ou mandar fazer um a um. Para a professora Josimayre Novelli, a escolha foi somar o melhor de duas opções: parte em planejados, parte em marcenaria exclusiva.

Uma arquiteta e uma empresa especializada em mobiliário sob medida enviaram os projetos e ela aproveitou as duas propostas. Por experiência própria, ela recomenda uma consulta a um arquiteto. A visão do todo, não apenas no planejamento do mobiliário, mas em relação à funcionalidade e à estética harmonizam o espaço.

A professora precisava equipar a cozinha, lavanderia, banheiro e quarto do filho pequeno. A partir do projeto da marcenaria, ela encomendou os móveis e, depois que estavam instalados, decidiu que sozinha não conseguiria pensar no todo, então pediu ajuda.

A arquiteta ajustou tudo e fez o fechamento para deixar os ambientes como ela gostaria. "Nos projetos planejados a pessoa ganha espaço, o design fica perfeito e o acabamento também", afirma.

A casa já está equipada com os móveis da marcenaria, enquanto os planejados estão para chegar. Ela acrescenta que nessa somatória de vantagens dos planejados e sob encomenda, a casa ganha a personalidade do morador e o orçamento pode ser adaptado ao gosto e bolso da pessoa.

As vantagens que Josimayre aponta são as principais razões para contratar uma consultoria especializada na hora de investir na mobília, especialmente ao receber as chaves da casa própria ou após uma reforma.

Para o arquiteto Gustavo Masson é especialmente interessante para o cliente ter alguém que o auxilie a controlar as despesas. A marcenaria personalizada é um dos itens de maior custo, seguida pelos planejados e modulares.

O terceiro tipo é versátil e ajuda muito a reduzir as despesas complementando projetos mistos. Por outro lado, os modulares nem sempre acompanham o padrão dos planejados e são mais utilizados como complementares: bancadas, criados-mudos, gaveteiros, etc. "O mercado oferece todo o tipo de solução, o arquiteto sabe onde elas estão. Você pode ter um painel com aço galvanizado ou de madeira, usar revestimentos. Pode usar um papel de parede mais simples ou com cristais", afirma.

Num projeto de móveis planejados podem faltar uns cinco centímetros aqui, cinco ali. Para resolver, vem a marcenaria. Para aquela peça que não é embutida como a mesa de centro ou o painel atrás da televisão, o arquiteto é quem administra se vale investir em uma peça assinada ou da coleção passada de uma loja de móveis.

"Num mesmo layout é possível mesclar os três tipos e deixar o ambiente exatamente como a pessoa sonhou. O resultado é um projeto exclusivo e mais sustentável", acrescenta. Para o cliente de orçamento mais curto é possível ter a mobília com a funcionalidade que precisa e gastar apenas o que realmente pode.

Móveis planejados não atendem exatamente a medida do imóvel, mas são práticos e funcionais porque oferecem alguma mobilidade. Muitos têm opções de variação de tamanho em centímetros, o que facilita o ajuste.

Participe e comente