Mal acabou o Dia das Crianças e os preparativos para a próxima grande data festiva, o Natal, se iniciaram. Nas lojas de Maringá, já é possível comprar guirlandas, árvores e outros apetrechos para enfeitar a casa, tudo ao estratégico som de Jingle Bells.

Em uma loja de artesanato da cidade, a procura começou em agosto, mas o movimento se intensifica, destaca a proprietária Ana Maria Reis, sempre a partir de novembro. No ano passado, ao meio-dia do dia 24 de dezembro tinha consumidor comprando na loja.

Quem se antecipa aumenta as chances de fazer uma decoração mais bem elaborada. É pensando nesse público que Ana Maria deixa a loja toda ornamentada com peças que também estão à venda.

"Eu monto o cenário de um jeito que já dou uma ideia de como o cliente pode usar na casa dele", diz a comerciante, animada com esse período de vendas, em que árvores e guirlandas têm mais saída.

À espera de mais produtos encomendados nos fornecedores, Ana Maria sugere o uso clássico das árvores, cujas cores tradicionais são a vermelha e a dourada. "Gosto das árvores maiores, mais cheias. Um pequena fica insignificante dependendo do espaço", observa. Se o desejo é fugir do clássico, há uma infinidade de opções. As 'roupas' para as árvores podem ser cor-de-rosa, verde, cobre, prata. Ana Maria destaca que no ano retrasado as peças azuis foram muito procuradas.

Criatividade

No Natal, o objetivo mesmo da decoração é deixar os ambientes aconchegantes, o que é típico do clima natalino. "Acredito que exista uma decoração para cada pessoa e para cada lugar, o que importa é que o clima natalino esteja lá", diz a arquiteta Clarissa Boretto. Tendo isso em conta, ela faz algumas sugestões. Para ambientes internos, vale escolher um canto de destaque e áreas onde todos circulam para pinheiros, o que permite criar uma decoração nova a cada Natal. Basta trocar as cores dos enfeites.

Para quem vive em lugares mais apertados, num cantinho de um aparador cabe uma cesta cheia de bolas de Natal, ensina Clarissa. E um lugarzinho na parede dá lugar à uma guirlanda.

Para escritórios e ambientes comerciais, como há influência sobre funcionários e clientes, ela recomenda aplicação moderada. Enfeites menores, em alguns pontos estratégicos, remetem à data comemorativa sem deixar o ambiente caricato e carregado, e mantêm o tom profissional.

As áreas externas também merecem adornos. Os piscas-piscas são opções interessantes, mas sem exagero. "Queremos deixar os nossos espaços com cara de Natal, mas não como a própria casa do Papai Noel", diz.

A arquiteta destaca que a decoração DIY (faça você mesmo), que nunca sai de moda, vem ganhando mais força ao longo dos anos.

"É possível criar e reinventar a magia do Natal! Rolhas podem virar uma guirlanda, bolas de barbante, as de Natal, garrafas de vinho ou cerveja empilhadas com luzinhas viram uma árvore. A criatividade não tem limites."

OPÇÕES. Árvores e guirlandas são os itens mais procurados na loja de artesanato de Ana Maria.

Participe e comente