As vendas da indústria de materiais de construção no País em setembro cresceram 0,1% em comparação com o mesmo período do ano anterior. Apesar de o avanço ainda ser leve, essa é a primeira alta registrada pelo setor desde fevereiro de 2014, de acordo com levantamento da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Construção (Abramat). Já no acumulado do ano, a indústria teve queda de 5,3% nas vendas, enquanto nos últimos 12 meses a baixa é de 7,1%

Segundo o presidente da Abramat, Walter Cover, o resultado de setembro foi positivo graças às vendas da indústria para o varejo, que têm mostrado crescimento. Já a comercialização de materiais para a construção de prédios residenciais e comerciais, além de obras de infraestrutura, seguem em baixa.

"A recuperação será gradual, uma vez que persistem as principais causas da baixa demanda, ou seja, desemprego alto, crédito dificultado, juros elevados e baixa atividade de novas edificações e de obras de infraestrutura", ponderou Cover. Pelas estimativas da Abramat, as vendas do setor deverão encerrar o ano com queda de 5%.

O levantamento mostrou também que setor continua cortando vagas de emprego. A quantidade de pessoas empregadas na indústria de materiais caiu 5,1% em setembro e recuou 6,1% no acumulado do ano.

Segundo Cover, o setor caminha para redução do mercado este ano ao redor de 5% a 6%. "A queda de vendas de materiais de base é um pouco maior do que a dos materiais de acabamento refletindo a redução das obras de infraestrutura e novas edificações. Muito por conta do desemprego, que faz com que as famílias posterguem decisões que envolvem compromissos financeiros de longa duração", analisa.

Participe e comente