Se você está pensando em adquirir um imóvel, essa é a hora. Especialistas em mercado dizem que existe estoque em praticamente todas as incorporadoras de Maringá. Tendo mais oferta do que procura, os preços são negociáveis, especialmente se há tem dinheiro na mão.

"Ano passado o aço subiu 34% e, neste ano, vai ter aumento de 15%. Esses e outros aumentos não foram repassados nos preços dos imóveis em função do estoque. Por isso, o melhor momento para comprar é agora. Acabado esse estoque, os preços serão regularizados", explica o vice-presidente e diretor de Indústria Imobiliária do Sindicado da Indústria de Construção Civil no Estado do Paraná (Sinduscon-PR), José Armando Quirino.

De acordo com ele, o estoque não é resultado de uma superoferta, ou seja, não é que tenha sido construído mais do que é possível ser adquirido. A situação econômica vivida nos últimos anos levou a isso. "As pessoas tinham medo de investir, de perder o emprego, estavam inseguras."

A empresa dele, a Cataramã Engenharia e Empreendimentos, por exemplo, tem bastante estoque. Um deles é o Cenarium Residencial II, lançado em 2016. Localizado ao lado do Parque do Ingá, o prédio tem academia, piscina, sala de cinema, quadra de esporte e 117 metros de área privativa.

Vez do comprador

"Agora é hora do comprador e não do vendedor. E a pessoa tem a melhor garantia possível porque o imóvel já está pronto, ela compra e já tem o local disponível", afirma o diretor da Design Empreendimentos, Wilson Tomio Yabiku.

Os indicadores mostram uma retomada da economia neste ano. O juros diminuíram, o Produto Interno Bruto (PIB) apresentou crescimento em 2017 e outros fatores levam a crer que a tendência é que a economia melhore e, assim, as incorporadoras reajustem os preços.

"Acabando o estoque não tem imóvel novo porque as incorporadoras vão voltar a fazer lançamentos neste e nos próximos anos, e o preço vai subir e o prazo de entrega é longo", diz Yabiku. Em 2018, mesmo com a recuperação econômica, a tendência é que seja um ano mais tímido, diferente dos anos entre 2012 e 2014, quando houve vários lançamentos de imóveis em razão do superaquecimento da economia.

Yabiku conta que, pensando na grande quantidade de estoque e na retomada da economia, que vai garantindo aos poucos maior poder de compra, em fevereiro haverá um evento em que oito incorporadoras de Maringá vão oferecer imóveis com condições de juros especiais, por meio de parceria com um banco.

Demanda
Se a oferta de imóveis está grande, a procura vem aumentando, avalia o diretor da Ingaville, Nelson Júnior. "Comparado ao mesmo período do ano passado, janeiro está tendo maior procura em venda e locação. As pessoas estão mais confiantes para investir e a tendência é que isso se mantenha."


VANTAGEM. Demanda reprimida fez construtoras frearem ritmo de lançamentos; quem tem dinheiro na mão consegue bons negócios. —JCFRAGOSO


Participe e comente