A tecnologia vem sendo uma grande aliada na otimização e eficiência do trabalho dos profissionais da arquitetura e do design que moram e possuem projetos sendo executados em outro país.

A arquiteta Carmen Calixto está morando em Joanesburgo, na África do Sul, há um ano, e segue com seu escritório em pleno funcionamento em Belo Horizonte. Apesar da distância, a profissional ressalta que o andamento de seus projetos e o relacionamento com seus clientes estão fluindo perfeitamente. "Meu relacionamento com meus clientes está ainda mais próximo. A tecnologia é fundamental para que eu consiga manter contato diariamente com meus clientes e fornecedores, acompanhar as obras, tirar as dúvidas, apresentar os projetos. Estou sempre disponível pelo WhatsApp, tenho um número de Skype para que meus clientes possam falar comigo pagando ligação local e, também pelo Skype, faço minhas apresentações de projeto. No entanto, mesmo com a tecnologia, foi de extrema importância, que eu tivesse uma equipe de confiança em Belo Horizonte, para realizar as medições, acompanhar as obras, visitar fornecedores. Minha equipe me dá todo o suporte que preciso para trabalhar a distância e nossos clientes estão bem satisfeitos com o resultado de nosso trabalho. Estando longe da correria do escritório, tenho tido mais tempo para me dedicar profundamente a cada projeto. Com isso, percebi que os projetos estão cada vez mais assertivos, com quase nenhuma solicitação de alteração", avalia.

Segundo a consultora de imagem Geralda Francisca, cliente de Carmen, o acompanhamento da arquiteta segue sendo exemplar, mesmo estando tão longe. Desde Joanesburgo, Carmen projetou e finalizou o quarto do filho de sua cliente, com um resultado extremamente positivo. "Mesmo estando a distância, o acompanhamento da Carmen foi excelente. Durante a execução do projeto, nos comunicávamos via Whatsapp e telefonemas. Foi muito eficiente", relata.

China

A designer de interiores Linda Martins, sócia-proprietária de um estúdio de Design, está há três anos vivendo na China e o seu escritório no Brasil está em pleno vapor. Além da tecnologia, ela conta com sua sócia e irmã, a designer de interiores Cris Araújo, para acompanhar, in loco, todos os projetos da dupla. "Hoje, eu faço reuniões por Skype com os clientes para definir a linha de pensamento para iniciar os projetos e depois seguimos por conversas constantes. Tem clientes mais ocupados, que nem conseguem um tempo para uma reunião e preferem responder algumas questões por e-mail mesmo. A tecnologia acabou agilizando a vida deles também! A minha sócia e irmã é fundamental para a execução dos projetos, mas a tecnologia me permite trabalhar e projetar mesmo estando do outro lado do mundo! Posso continuar trabalhando, detalhando projetos e até mesmo me especializando! Mais do que isso, graças à tecnologia, nossos clientes recebem projetos em imagens e vídeos 3D que permitem uma dimensão real de como ficará. Algo que até alguns anos atrás seria impossível", conta.

Miami

Com um panorama inverso, a arquiteta Flávia Roscoe vive em Belo Horizonte, mas possui projetos em Miami. Ao iniciar o seu trabalho com os clientes, o primeiro encontro é presencial, mas a partir de então, mais uma vez a tecnologia entra em cena para facilitar, agilizar e acompanhar todo o percurso da obra. "Primeiramente, como em todo projeto, o encontro para entendimento do cliente, suas necessidades, do espaço que iremos trabalhar e suas interações é um momento fundamental e isto ocorre sempre de forma presencial, pois é preciso perceber as pessoas que irão viver naquela casa e quais as possibilidades que o espaço nos apresenta. Feito isto, para que haja uma compreensão fiel do resultado final que estamos propondo, apresentamos o projeto em imagens e em realidade virtual. Assim, nos transportamos para os ambientes mesmo estando longe", afirma.

À DISTÂNCIA. Mesmo em Joanesburgo, Carmen Calixto fez um projeto para atende cliente no Brasil.


Participe e comente