Nossas lembranças da infância ao lado de nossas mães, em sua maioria, são dentro de casa, juntos assistindo televisão ou na sala de jantar. O lar é um ponto de referência quando pensamos no passado e nos momentos em família.

E esse ponto de referência emotivo não precisa se limitar apenas à sala de estar e/ou TV. Costumamos pensar nesse ambiente em primeiro lugar, pois ali se concentra a aparelhagem de entretenimento, sendo um ambiente propício para momentos de relax entre mãe e filho.

Os demais ambientes da casa, porém, também merecem atenção quando se trata de projetar espaços que fortaleçam os laços de afeto. É o que explica a designer de interiores e psicóloga Fabiana Visacro, especialista em decoração afetiva. "Existe um lugar que é importante para a mãe estar sempre presente com o filho que é o quarto da criança, o lugar dentro da casa mais íntimo para elas. Estar junto dela, ali, é importante para registrar e deixar bem marcado na memória afetiva dos pequenos esses momentos de união. Acho interessante ter, dentro do quarto, um local para esse momento, que seja sentar na cama para fazer alguma atividade, uma leitura à noite ou um café na cama todo fim de semana", conta.

Momentos

A profissional ressalta que ela mesma tem o hábito de levar o café na cama para as suas filhas nos finais de semana, criando momentos que, no futuro, com certeza, será uma lembrança amorosa e repleta de carinho. "Levo café na cama paras minhas meninas, com o livrinho na bandeja e ali a gente faz café com letra. Enquanto elas vão tomando café da manhã, eu vou contando histórias, das quais, muitas vezes, elas já ouviram mil vezes, mas o que importa é eu esteja lá com elas e isso cria uma marca na memória afetiva", afirma.

De acordo com Fabiana Visacro, um outro local que também deve ser dividido com a criança em casa é o home-office. Parece contraditório, mas na verdade, é um ambiente importante para mostrar à criança que, mesmo trabalhando você pode estar bem pertinho dela e, também, criar um exemplo profissional. "Naquele quarto de hóspede que é escritório ou apenas home-office mesmo, feito como um espaço para o pai e para a mãe trabalharem, é legal, também, deixar um cantinho ali para o filho estudar e ficar próximo aos pais. Se a baguncinha do filho se tornar um incômodo, basta criar espaços de armazenamentos fechadinhos para as coisas da criança para não ficar tão aparentes e desorganizadas. Isso é muito importante porque é um tempo que você está dentro de casa junto (realmente) com a criança. É um momento dela poder se espelhar na mãe quando pensa em organização, critério e trabalho, são exemplos importantes", avalia.

Novos laços
A profissional destaca que é preciso pensar além das áreas de entretenimento mais comuns dentro de casa, e expandir para estes outros pontos não tradicionais, pois criam-se novos laços, novas propostas de momentos entre mãe e filho e, ainda, ampliam as lembranças de carinho e afeto que as crianças se orgulharão de ter no futuro. "Isso mostra como a interação com os filhos pode ser ainda mais frequente dentro de casa, o que independe do tamanho da morada e da idade da criança", encerra Fabiana.


JUNTOS. O quarto da criança é o principal ambiente da casa para mães e filhos se conectar


Participe e comente