Com a mudança na bandeira tarifária, a conta de luz vai pesar mais no orçamento deste mês e contribuir também para uma inflação mais alta.

O motivo está no baixo nível de água nos reservatórios das usinas hidrelétricas, por falta de chuvas, o que diminui a geração de energia elétrica. Para suprir essa deficiência são acionadas as termelétricas movidas por carvão que operam com custos mais elevados. A diferença maior no custo de produção é repassada para o consumidor.

Para escapar desse custo adicional na conta, o consumidor pode mudar ou adotar alguns hábitos caseiros para reduzir o consumo de energia. Um pouco de organização e controle vão ajudar a gastar menos energia ou a consumi-la de forma mais consciente. É uma economia que vai depender de atitudes e participação de cada pessoa da família.

Apague as luzes

Não deixa de ser repetição do óbvio dizer que as lâmpadas devem ficar apagadas em ambientes que não exigem iluminação. Mas quantas vezes esquecemos de apagá-las ao sair de um quarto, ao deixar a cozinha e outros ambientes. Fique antenado e nada de luzes acesas à toa.

Outras dicas para reduzir o consumo de energia: aproveite ao máximo a luz do dia, deixando as cortinas, portas e janelas abertas. Procure pintar as paredes com cores claras que contribuem para maior luminosidade no ambiente, reduzindo a necessidade de lâmpadas ligadas.

Use lâmpadas fluorescentes, que são até 75% mais econômicas, além de ter garantia contra a queima prematura. É providencial, para a longevidade de sua vida útil, evitar apagar e acender as luzes a todo momento, porque o maior consumo das fluorescentes está no ato de acender.

No chuveiro
A economia de energia elétrica pode ser perseguida em cada canto e atividade da casa. O chuveiro é um dos aparelhos que mais consomem energia. Por isso, os banhos devem ser rápidos e, principalmente no calor, com o chuveiro desligado enquanto se ensaboa ou lava os cabelos.

Colocar a chave na posição "verão" pode levar a uma redução de até 30% do consumo. A limpeza regular dos buraquinhos ajuda também a aumentar a vazão da água e o bom funcionamento do aparelho

Na cozinha
As geladeiras e os freezers devem ficar afastados de móveis ou paredes ou fontes de calor, como o fogão ou lugar exposto ao sol, para ter maior eficiência. Guardar alimentos quentes ou abrir constantemente a porta exige mais trabalho do motor para resfriar novamente o ambiente interno do aparelho. Portanto, é preciso evitar fazer isso.

A borracha de vedação da porta deve ser mantida em bom estado para a manutenção da temperatura adequada. No inverno, o termostato deve ser regulado para racionalizar o consumo.

Lavar e passar
No cuidado com as roupas, convém acumular o maior número de peças de roupa para lavar ou passar, racionalizando o uso de máquina de lavar e ferro elétrico. Passe as roupas que precisam de menor calor por último, até mesmo com o ferro já desligado.

Mais dicas
Mesmo desligados, os aparelhos eletrônicos não devem ficar plugados nas tomadas. Quando não estiver em uso, o monitor do computador deve ser desligado ou utilizado o modo de economia de energia.

Especialmente no verão, o uso de ventiladores aumenta consideravelmente. Saiba que, quanto maior o diâmetro das hélices, maior o consumo de energia. Ao usar o ar-condicionado, as portas e janelas devem ficar bem fechadas para aumentar a eficiência do aparelho

A preferência deve recair sobre os eletroeletrônicos com selo Procel, porque são mais eficientes. Procure não usar extensões ou benjamins que desperdiçam energia. E não durma com a TV ligada, programe-se ou então acione o dispositivo para que o aparelho desligue sozinho.



Participe e comente