Dos quatro homicídios registrados este mês em Maringá, três já foram esclarecidos pela Polícia Civil. Apenas uma morte ainda aguarda elucidação, mas dada a circunstância do caso, a polícia não vislumbra, pelo menos a curto prazo, a identificação dos autores.

O primeiro homicídio aconteceu na noite de 10 de janeiro no Conjunto Sanenge, com dois homens ocupando uma moto vermelha matando, a tiros, Juliano Ferrari Fernandes da Silva, 23, o Juca Bala. Os assassinos voltaram a agir minutos depois, baleando dois amigos de Juca Bala. Os crimes seriam retaliação à morte, em dezembro do ano passado, de um traficante, executado a tiros na Avenida Colombo.

No dia 20 de janeiro, Vassner Ricardo da Silva, 24 anos, foi morto a tiros no Conjunto Requião. A polícia diz que o crime foi passional e que o assassino seria um adolescente de 17 anos com quem a vítima disputara uma adolescente.

No dia 21, uma briga terminou com a morte de um flanelinha no Jardim Alvorada. O ex-garçom Adão Aparecido Severino, 56, apresentou-se na delegacia e assumiu a autoria do crime. Até ontem, a vítima, que portava documentos de outra pessoa, não havia sido identificada.

O último homicídio foi registrado no dia 27 com a morte de Ademir Rogério de Proença, 28, o E.T., morador do Conjunto Requião. O autor, já identificado através de testemunhas, está foragido.
 

VEJA TAMBÉM


Participe e comente