A Justiça Federal condenou o ex-prefeito de Maringá, Jairo Gianoto, a uma pena de quatro anos e seis meses de reclusão, pelo superfaturamento do preço da obra pública do Hospital Metropolitano de Maringá, hoje Hospital Municipal, realizada com recursos do Ministério da Saúde. Além de Gianoto, foram condenados o então secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Carlos Eduardo Schwabe, e o empreiteiro Erasmo José Germani.

A pena dos dois é de três anos, dez meses e 15 dias de reclusão. Os réus também estão proibidos de ocuparem funções públicas e de se candidatarem a qualquer cargo pelo período de cinco anos. O mandato de Jairo Gianoto como prefeito foi de 1997 a 2000. Ele renunciou ao cargo, após uma série de denúncia começar a ser investigada pelo Ministério Público.

Participe e comente