Adilson Emir Santos, que herdou do pai a empresa BJ Santos e foi presidente da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM) durante quatro anos morreu na manhã desta quinta-feira (18). O empresário lutava contra o câncer no pâncreas há três anos e estava internado no Hospital Paraná. Ele faria 61 anos no próximo dia 11.

O velório será a partir das 15h, na capela do Prever do Cemitério Municipal (Rua Vereador Primo Monteschio) e o sepultamento será na sexta-feira às 10h

Nas duas gestões dele, entre 2008 e 2012, a Associação Comercial teve vários avanços: segundo a assessoria da entidade, durante a presidência de Santos, a associação atingiu a marca de quatro mil associados. No período as receitas cresceram 16,4% e o patrimônio líquido aumentou 41,2%.

Também foi na gestão de Santos que o prédio da ACIM foi reformado e ampliado. Foram inauguradas as novas estruturas do Centro de Treinamento e 1,2 mil metros no terceiro piso, com auditório, sala de reuniões e espaço de eventos. Outra ação foi a criação na Galeria de Presidentes no térreo.

Foi nesse período que a Associação Comercial teve papel importante na mudança da base de dados do SPC, decisão que culminou na centralização da base de informações na Faciap, fortalecendo a federação. E foi ainda na gestão de Adilson que a Maringá Liquida passou a acontecer duas vezes por ano.

A ACIM emitiu uma nota comunicando o falecimento do ex-presidente, que recentemente ocupava a presidência do conselho superior da entidade. Eles ressaltaram os grandes feitos do empresário e lamentaram a morte dele.

Santos trouxe para Maringá palestras como a do velejador Lars Grael, do jornalista Paulo Henrique Amorim, do economista Delfim Netto e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Ele também esteve à frente da criação de novos núcleos do Projeto Empreender, da campanha de doação de acolchoados para entidades sociais, campanha contra a dengue e contra o aumento de vereadores foram outras ações importantes.

“Adilson foi um grande defensor do associativismo. Fez duas gestões louváveis à frente da ACIM, fortalecendo a imagem e o trabalho da entidade. É uma grande perda para mim, que sou seu amigo e admirador, e para toda a comunidade. Ele sempre teve um carinho grande por Maringá e fez contribuições valiosas para o planejamento e desenvolvimento local”, lamenta o presidente da ACIM, José Carlos Valêncio.

Participe e comente