A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) terá esquema especial no trânsito para a prova O Diário Night Run, etapa "Construção Civil". Integrante do circuito Paraná Running, a prova deste sábado (20), às 18h, teve os últimos detalhes definidos em reunião entre Semob e organizadores.

Segundo o diretor de Operações de Trânsito da Semob, Marcelo Filite, 20 agentes serão destacados para organizar o trânsito durante a prova, garantindo a segurança dos corredores. Serão utilizadas na operação três caminhonetes para o transporte do material de sinalização (cones e cavaletes) e 15 motocicletas.

Os esforços são para isolar plenamente o percurso de 5 km da corrida – no qual os inscritos para a prova de 10 km darão duas voltas – no entorno do Parque do Ingá e em trecho da Avenida Paissandu, na Zona 3. Segundo Filite, a Semob trabalhará para manter 100% de eficiência nas corridas de rua. "Nunca registramos qualquer incidente envolvendo atletas e veículos."

O primeiro trecho a ser interditado será em frente à Academia da Terceira Idade do Parque do Ingá, ao meio-dia. O restante do trajeto ficará fechado ao trânsito, diz Filite, de 20 minutos antes da prova até 20 minutos depois de o último corredor cruzar a linha de chegada. "Em nenhum momento podemos permitir que um veículo adentre na área da corrida, e isso gera tensão para nossa equipe."

Secretário da pasta, Gilberto Purpur diz que a escolha do trajeto levou em conta o impacto que a prova causaria no trânsito. "Primeiro, consideramos o critério ambiental, porque entendemos que é melhor correr no entorno do bosque do que na selva de pedra, e também consideramos o impacto que causaria no trânsito, especialmente se a prova fosse na área dos binários", diz ele, referindo-se às avenidas de mão única que cruzam a Avenida Brasil.

"Uma das características dessas provas (corridas de rua) é valorizar os nossos bosques, evitando interditar muitas áreas do Centro, o que seria complicado", acrescenta Filipe. Segundo ele, provas maiores exigem força-tarefa igualmente maior. Na Prova Tiradentes, a principal corrida do calendário do município, Filite diz que foram necessários 40 agentes da Semob e 50 homens do Tiro de Guerra para o balizamento de trânsito.

Organização

Para as próximas etapas do circuito de corridas Paraná Running, em defesa de reivindicações feitas pelos próprios corredores, a organização do evento espera por novos trajetos, que permitam mostrar a cidade para quem vem de fora.

"Nossa prova entra no quarto ano e entre 30% e 40% dos corredores vêm de fora. Então, essa é uma grande oportunidade de mostrar Maringá para essas pessoas, de revelar como a cidade está desenvolvida em mobilidade urbana e na administração do trânsito", comenta César Luis de Carvalho, diretor comercial de O Diário.

As próximas etapas – "Confecção e Moda" e "Educação e Ensino" – estão marcadas para 30 de setembro e 25 de novembro, respectivamente.

Uningá oferece serviços ao público

A Uningá está presente no circuito de corridas Paraná Running. No estande da instituição, o público poderá aferir pressão, receber orientação nutricional, entre outros serviços disponibilizados pelos alunos dos cursos de Educação Física, Fisioterapia, Nutrição e Enfermagem.

O aquecimento e alongamento dos corredores no palco oficial da corrida também ficarão a cargo dos alunos da instituição. Haverá atividades, como jogos e recreações, para crianças.

Para o pró-reitor de Ensino da Uningá, Ney Stival, a importância da participação da Uningá se dá "por ser um laboratório prático para a formação dos acadêmicos dos cursos envolvidos e uma excelente oportunidade para incentivo à saúde e qualidade de vida".

Participe e comente