O Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) fez uma radiografia completa da crise fiscal nos municípios brasileiros. O levantamento, divulgado nesta quinta-feira (10), classifica a gestão das cidades como de excelência, boa, em dificuldade ou crítica. O resultado, baseado em dados recém-publicados pela Secretaria do Tesouro Nacional (SNT), aponta que dos 4.544 municípios avaliados, 3.905 (85,9%) apresentam situação fiscal difícil ou crítica (Conceito C ou D).

Maringá vem na contramão e apresenta uma situação fiscal boa. A cidade alcançou 0.7647 pontos (Conceito B), garantindo, entre as cidades do Paraná, a 4ª colocação. No ranking nacional, a Cidade Canção ficou na 34ª posição.

O resultado é considerado satisfatório, porém, em relação ao ano de 2015, a cidade perdeu pontos. Naquele ano, a situação fiscal atingiu Conceito A, ganhando título de excelência em gestão. A posição no ranking estadual e nacional também havia sido melhor: 3ª e 19ª colocação, respectivamente.

O IFGF gera a pontuação final a partir de cinco indicadores: Receita Própria, Gastos com Pessoal, Investimentos, Liquidez e Custo da Dívida.

Em Receita Própria, que mede o total de receitas geradas pelo município, em relação ao total da receita corrente líquida, Maringá alcançou nota máxima e ficou em primeiro lugar no ranking nacional.

Participe e comente