Representantes da Prefeitura e o Ministério Público reuniram-se para discutir as ações da Patrulha do Som para conter a poluição sonora em Maringá. A atividade integrada envolve a Secretaria de Meio Ambiente e Bem Estar Animal (Sema), Guarda Municipal, diretoria de Fiscalização, Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), 4º Batalhão da Policial Militar e Ministério Público.

"A administração quer reativar a Patrulha do Som que está há um bom tempo parada. Com uma boa estrutura e apoio do Ministério Público podemos fazer uma trabalho da forma que a lei permite", esclarece o secretário de Meio Ambiente e Bem Estar Animal, Jaime Dallagnol.

De acordo com o promotor de Justiça, Maurício Kalache, a poluição sonora abrange três esferas jurídicas: som em veículos, casas e comércio. "É necessário estabelecer protocolos de atendimentos de acordo com as demandas específicas, além de adequar a legislação", explica. Para promotor de justiça, José Lafaeite os postos de gasolina são pontos que precisam de mais intensificação na fiscalização.

De janeiro a julho deste ano, a ouvidoria municipal (156) registrou 530 protocolos de reclamações referentes a poluição sonora em Maringá. Os agentes de trânsito realizam autos de infração em casos de som alto em carros. Neste ano foram notificados 314 veículos. O condutor é autuado com 5 pontos na carteira de motorista.

Participe e comente