Um menino, de 2 anos, morador de Maringá, foi picado por um escorpião preto na noite de segunda-feira (11) e encaminhado ao Hospital Universitário (HU) com dor e vermelhidão no pé. De acordo com o hospital, ele foi medicado e teve alta na manhã desta terça (12).

A assessoria de imprensa do HU informou que o pequeno recebeu a medicação e fez um eletrocardiograma para constatar se o funcionamento do organismo dele estava normal. Pela manhã, o exame foi repetido e, como não havia nenhum problema, ele recebeu alta por volta das 8h45.

De acordo com o Ministério da Saúde, geralmente, o envenenamento escorpiônico causa alterações locais e sistêmicas, mas a grande maioria dos acidentes é leve e o quadro local tem início precoce e duração limitada, no qual adultos apresentam dor imediata, eritema e edema leves, piloereção e sudorese localizadas, cujo tratamento é sintomático.

Já a picada do escorpião amarelo pode causar agravamentos em crianças abaixo de 7 anos. Neste caso, é preciso a aplicação de soro específico em tempo adequado.

Caso recente

No último dia 26, um menino, de 4 anos, morreu no HU após ser picado por um escorpião amarelo. Lucas Diego Godinho Alves era morador de Jussara (a 66 quilômetros de Maringá), levou a picada e ao entrar no hospital sofreu duas paradas cardíacas. No dia seguinte, ele não resistiu e entrou em óbito.

Participe e comente