Morreu, nesta segunda-feira (13), o padre Geraldo Schneider, muito conhecido pelo grande período em que atuou na arquidiocese de Maringá, em especial na Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Glória.

Segundo informações confirmadas pelo setor de atendimento da Catedral, o sacerdote morreu na casa dos padres idosos, aos 81 anos, o arcebispo de Maringá, dom Anuar, afirmou que Schneider sofreu um infarto e pediu orações por ele. O padre será velado na Catedral, mas o horário ainda não foi definido. Na terça-feira (14), o corpo do monsenhor será cremado, conforme o desejo dele. As cinzas serão depositadas no ossário da Catedral de Maringá.

Padre Geraldo

Gerhard Schneider, o nome verdadeiro do padre Geraldo, iniciou a vida religiosa como irmão na Congregação dos Irmãos de Misericórdia Maria Auxiliadora, em 1956, na Alemanha. Cinco anos depois, ele foi transferido para Maringá, para trabalhar na Santa Casa, organização criada pela congregação do beato Pedro Friedhofen.

Já em Maringá, ele decidiu ser padre e foi ordenado por Dom Jaime Luiz Coelho em 1969.

O padre ficou conhecido pelo trabalho inovador em evangelização, tanto no trabalho de assistência social, com a construção de casas de acolhimento para pessoas em situação de rua, dependentes químicos e crianças em situação de vulnerabilidade social, quanto pelo uso de meios de comunicação. Ele foi o idealizador da TV 3° Milênio e foi destaque na Revista Veja, em 1986, pelo uso criativo dos meios para anunciar o Evangelho.

Padre Geraldo também implantou o Museu de Arte Sacra, em 1990, e coordenou a construção de várias capelas rurais. Até pouco tempo atrás, ele atendia confissões na Catedral de Maringá.

Em agosto deste ano, ele recebeu da Câmara Municipal de Maringá a comenda dom Jaime Luiz Coelho.

Confira no blog do Repórter de O Diário Luiz de Carvalho, uma matéria sobre os 80 anos do padre, celebrados no ano passado.

Arquivo/ Arquidiocese de Maringá


Participe e comente