Nesta sexta-feira, às 16h, guardas municipais se reúnem com representantes da Prefeitura de Maringá para terem uma resposta sobre o pedido de aumento do salário inicial da categoria – hoje em cerca de R$ 1,4 mil. Devido ao risco e responsabilidade, eles pedem que o vencimento seja de R$ 2,5 mil.

A Guarda Municipal de Maringá foi formada sem um treinamento específico, com parte dos agentes integrados do quadro de vigilantes. Por isso, o salário base anual é de uma categoria com ensino fundamental de escolaridade. A ideia é que seja de Ensino Médio.

Na semana passada, os guardas apresentaram o pedido ao Município, com apoio do sindicado dos servidores municipais, o Sismmar. O vice-prefeito Edson Scabora e o chefe de gabinete Domingos Trevizan pediram uma semana para análise de viabilidade financeira.

O diretor da Guarda Municipal, Osmar Machado, lembra que o Estatuto da Guarda Municipal, que tem como função regular o trabalho, desde responsabilidades aos pagamentos, está em construção, por isso a importância de debater o aumento do salário neste momento.

Depois de pronto, o estatuto passará pela aprovação da Câmara Municipal. "Ele vai nortear todas as ações da Guarda. Vai dar mais legalidade nas atribuições", defende Machado.

Caso a proposta seja aprovada, o aumento será válido para os guardas que estiverem aptos psicologicamente e passarem pelo treinamento de tiro. Já depois, será incorporado para qualquer novo aprovado em concurso.


Participe e comente