Maringá terá três refeitórios populares nos seguintes bairros: Parque Residencial Tuiuti (próximo ao Conjunto Requião), Parque Residencial Honorato Vecchi (ao lado do Conjunto Santa Felicidade) e Conjunto Ney Braga. O Governo do Paraná, por meio da secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab), irá investir R$ 2,4 milhões, mais R$ 75 mil de contrapartida, nas três unidades – incluindo a construção e aquisição de equipamentos e insumos. Os terrenos serão cedidos pela Prefeitura. O projeto é voltado para municípios com mais de 80 mil habitantes.

Os três refeitórios serão uma extensão do Restaurante Popular central do município, que já oferece cerca de mil refeições diariamente desde 2010. Localizado na Rua Lauro Werneck, nº 500, na Zona 07, o restaurante é supervisionado pela Gerência de Segurança Alimentar e Nutricional da secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc). A refeição custa R$ 3, de segunda a sexta, das 11 às 14 horas. O cardápio sempre oferece arroz, feijão, carne e salada. Os acompanhamentos variam conforme o dia, podendo ser macarrão, farofa ou legumes, por exemplo. Para a sobremesa, frutas.

Agora, mais mil pessoas poderão usufruir do serviço. A comida será feita no restaurante e encaminhada para os três refeitórios. Cerca de 500 refeições serão servidas na unidade do Residencial Honorato Vecchi, 250 no Residencial Tuiuti e 250 no Ney Braga. O objetivo é duplicar o atendimento e tornar o cardápio mais acessível.

"A intenção é atender os trabalhadores de baixa renda, para que eles consigam uma refeição balanceada e com cuidados de nutricionista por um valor pequeno. A ideia é oferecer mais mil refeições nos três refeitórios, mas se houver necessidade, os três têm capacidade para aumentar o número de refeições. Queremos levar a segurança alimentar, não só para quem está no centro, mas também nos bairros da cidade", explica a diretora administrativa da Sasc, Emília Perissatto.

De acordo com ela, os locais que receberão os refeitórios foram estudados e analisados pela secretaria. "Com o diagnóstico dos lugares que sabemos que tem maior vulnerabilidade, determinamos os bairros que têm o maior número de pessoas que são o nosso foco."

O recurso do Governo do Estado engloba, além da construção dos três refeitórios, a melhoria do Restaurante Popular central. "Reconhecemos que precisamos melhorar a infraestrutura do restaurante do centro. Com essa verba, vamos poder melhorar a estrutura e equipamentos da cozinha central", enfatiza Perissatto.

A equipe de engenharia da Prefeitura de Maringá esteve em Curitiba na última segunda-feira (12) e o projeto para a construção dos três refeitórios já está nas mãos do Estado. Após as correções do projeto, será assinado o convênio. A promessa é que o dinheiro seja liberado ainda este ano. A partir da liberação, a Prefeitura terá de 6 a 12 meses para licitar e fazer a obra.

A Prefeitura de Maringá já está trabalhando para viabilizar, com recursos próprios, um novo Restaurante Popular com capacidade para servir mais 3 mil refeições. "Ainda é um projeto. Seria no terreno do Santa Felicidade, onde temos mais espaço. Chegamos a conclusão de que essa é a melhor opção para o futuro", comenta a diretora administrativa da Sasc.


Participe e comente