A fiscalização em estabelecimentos que comercializam produtos de origem animal e derivados foi intensificada pela Secretaria de Inovação e Desenvolvimento Econômico (Seide), por meio da Gerência de Agricultura e Pecuária, de Maringá.

O objetivo é acompanhar desde o armazenamento, transporte até a comercialização para reduzir a quantidade de produtos impróprios para o consumo. A fiscalização inclui o comércio de animais destinados ao abate, carne, pescado, ovos, leite e produtos das abelhas e os derivados.

Inspeção

Além da vistoria e orientação, são entregues informativos aos estabelecimentos com registro da Inspeção Municipal de Produtos de Origem Animal (SIM/POA). Em casos de irregularidade, o proprietário ou produtor tem o prazo de 30 dias para regulamentar. Se o prazo não for respeitado, a multa é a aplicada, com risco de interdição do local.

A médica veterinária, Camilla Portolese Pessini, explica a importância das ações como modo de garantir a segurança alimentar das pessoas. "Além de reduz a possibilidade de produtos contaminados, nós fiscalizamos também a parte de fabricação, o que reduz bastante as cargas microbianas. Essa carga é a principal causadora de intoxicações alimentares", explica. A ação garante segurança ao consumidor.

///Com informações da PMM


SAÚDE. Fiscalização garante a qualidade de produtos de origem animal. — DIVULGAÇÃO


Participe e comente