O 10º Encontro de Produtores de Hortas Comunitárias e Agricultura Urbana teve início ontem, no Bloco B33, no campus sede da Universidade Estadual de Maringá (UEM). A programação do evento conta com palestras para capacitação sobre Manejo de Solo e Pragas, Cooperativismo e Associativismo e visitas técnicas realizadas por professores da universidade e agricultores.

A prefeitura de Maringá colabora com a logística, enquanto a UEM desenvolve a assistência técnica e extensão rural nas 38 hortas comunitárias da cidade. Mais de mil famílias participam do programa que tem produção anual de 900 toneladas.

Ednaldo Michellon, professor do Departamento de Agronomia e da pós-graduação de Economia, que coordenada o Centro de Referência em Agricultura Urbana e Periurbana, projeto da UEM ligado às atividades das hortas comunitárias, explicou que as hortas geram alimentação saudável e renda, mas também têm outras funções como o lazer e a terapia. Segundo ele, o principal benefício é a segurança alimentar nutricional.

De acordo com João Pedro Mariano dos Santos, aluno do último ano do curso de Agronomia e integrante do projeto, é utilizado o sistema integrado de assistência técnica e extensão urbana, que faz o diagnóstico e planejamento. "Apuramos os problemas existentes na hora e voltamos para a universidade para verificar as prioridades e desenvolver ações direcionadas para melhoria da produção", afirma. ///ASC/UEM

Participe e comente