Durante o desfile de aniversário dos 71 anos de Maringá, o vereador Mário Verri (PT) e o soldado do 4º Batalhão de Polícia Militar, Roberto Pessuti - do Patriotas do Brasil -, se agrediram. Foi na última segunda-feira (14), na Praça Deputado Renato Celidônio, após discussão sobre política.

Ontem (15), em sessão na Câmara Municipal, Verri se pronunciou sobre o assunto. "Eles estavam com um totem do Sérgio Moro, e brincaram comigo, me chamando para tirar uma foto. Eu falei que era melhor não. O soldado que estava ali do lado, falou 'é melhor você não ficar perto mesmo porque ele está prendendo petistas'. Eu ri para ele e falei que gostaria que o juiz fosse mais sensato e fizesse para todos iguais, e sai andando. Então, ele veio do meu lado, me chamando de ladrão e vagabundo", explicou o vereador.

Tendo se sentido ofendido, Verri confessou que agrediu o soldado Pessuti. "Eu não aguentei e, infelizmente, dei um tapa nele. E ele veio me agredir também. Nisso, havia dois assessores do Homero Marchese que tiraram o policial dali. É um absurdo um rapaz que tem um histórico tão ruim como esse continuar na polícia", enfatizou.

O vereador ainda ressaltou que tem uma história a zelar. "Entendo que eu não deveria ter batido nele, mas eu não tinha outra situação. Se eu abaixo a cabeça, eu estaria sendo um vagabundo ou ladrão, coisa que eu não sou. Tenho uma história nessa cidade. Estou como vereador no meu quarto mandato, fui secretário e minha família é daqui. Nós temos uma história e eu não vou deixar essa história ser manchada por uma pessoa que não merece respeito", declarou Verri.

Em transmissão ao vivo pelo Facebook, o soldado Roberto Pessuti também falou sobre o assunto, enfatizando que não gosta de Verri e dos "arquitetos do PT", porque apoiam um "bandido condenado" que desviou bilhões dos cofres públicos do Brasil.

As versões de ambos divergem entre si. Segundo Pessuti, Verri falou que o "Sérgio Moro é uma vergonha para o país". E que o soldado retrucou dizendo "vergonha são vocês, vocês são apoiadores de bandido. Sérgio Moro é um herói nacional".

Pessuti explicou: "Dei dois passos e senti o tapa na minha face. Virei e dei um soco - que ele pegou com a mão. Mas, me seguraram. Eu teria arrebentado ele na porrada, porque ninguém bate na minha cara. Depois que eu revidei ele olhou pra mim e falou "por que você está fazendo isso comigo cara? Eu sou um homem do bem".

Pessuti fez boletim de ocorrência contra o vereador. Verri procurou o 4º BPM e registrou queixa contra o soldado.


BRIGA. Mário Verri (PT) agrediu o soldado da PM, Roberto Pessuti, que revidou, durante desfile pelo aniversário de Maringá.


Participe e comente