NO CENTRO. Na semana passada, o canteiro de obras do Terminal Intermodal estava vazio. — JOÃO PAULO SANTOS

"A obra do Terminal Intermodal deveria estar um pouco mais adiantada". A declaração é do secretário de Obras Públicas de Maringá, Marcos Zucoloto. Segundo ele, o atraso ocorreu devido a uma exigência da Companhia Paranaense de Energia (Copel) sobre a fiação subterrânea.

"Por uma exigência da Copel de Maringá, tivemos que devolver as bobinas de fiação elétrica para Curitiba para passar por testes. Se não fosse isso, no começo da semana já teríamos passado os cabos", conta.

Em parte do Novo Centro, a fiação da Copel é subterrânea, e passa exatamente onde será o piso da subestação sul do Terminal Intermodal. O projeto inicial não previa que seria necessário desviar os cabos da companhia.

"Ali tem três alimentadores subterrâneos, que é a rede de alta tensão. Foi necessário fazer um projeto na Copel para desviar o alimentador para a construção do terminal. Porém, não pode haver emenda no cabeamento. Então, todos os cabos que existem ali, serão perdidos. Vai ter que passar um novo cabo, de ponta a ponta. E esses cabos, que vieram de Curitiba, voltaram para lá no começo da semana (passada) porque precisam passar por testes", explica Zucoloto.

Segundo ele, os cabos que foram para teste devem ser trazidos de volta para Maringá na próxima semana. "Os testes já deviam ter sido feitos lá em Curitiba, antes de trazerem os cabos para cá. Mas nós não fomos informados sobre a necessidade de teste", enfatiza.

"É um atraso que vamos ter que recuperar depois. Não compromete o prazo final, mas será necessário fazer algumas reprogramações", acrescenta o secretário de Obras Públicas. O término da obra está previsto para o segundo semestre de 2019 ao custo total estimado em R$ 64 milhões.

Um outro atraso de três meses na execução do projeto já estava previsto desde o ano passado, por conta de dois aditivos assinados em agosto daquele ano, que trata do preço da obra repactuado entre a prefeitura e a construtora, que reanalisaram o projeto e valores, com um aumento de R$ 1,594 milhão. Segundo o Executivo, o motivo está relacionado à mudança no modo de construção das fundações do terminal.

A construção foi iniciada em julho de 2016 e a previsão era que o terminal fosse entregue em dezembro de 2017, depois passou para novembro de 2018 e agora a expectativa é que todo o trabalho seja concluído no próximo ano. Marcos Zucoloto informou que neste domingo (17), a empresa Salver, de Santa Catarina, deve trazer o segundo carregamento das estruturas metálicas que serão utilizadas na cobertura do Terminal Intermodal. "Nesta segunda-feira (18), já começamos a montar as estruturas", diz.


NO CENTRO. Na semana passada, o canteiro de obras do Terminal Intermodal estava vazio. — JOÃO PAULO SANTOS


Participe e comente