As chuvas da semana derrubaram 14 árvores em Maringá. De acordo com o balanço da Defesa Civil Municipal, que atendeu às ocorrências, o último caso na manhã dessa quinta-feira, 9, quando uma delas caiu sobre dois veículos e atingiu a frente de uma residência, na Rua Alfredo Pujol, Zona 5. Não houve feridos em nenhum dos casos. A equipe da Defesa Civil esteve em todos os locais para fazer a remoção. Depois de aproximadamente dois meses de estiagem, as chuvas se iniciaram entre quinta e sexta-feira passadas, 2 e 3 de agosto, e com precipitações que vão bem mais que o dobro da média para o mês, que é de 56mm. Somente nesta quarta-feira, 8, choveu 16 mm. E entre os dias 2 e 3, o volume foi superior a 114mm.

Já na quarta-feira, 8, ocorreu uma queda na rodovia PR-317, próximo da zona urbana, também sem vítimas. "Fizemos alguns Formulários de Identificação de Desastre [Fide] ao longo da semana, mas, felizmente, sem gravidades. Não tivemos uma área mais prejudicada que as outras. Os casos foram bem dispersos: Zona Central e Zona 7, bosque, por exemplo", comenta Adilson Costa, coordenador da Defesa Civil.

Segundo ele, os números não são expressivos, se comparados com ocorrências do ano passado, quando nesta mesma época do ano, caíram 128 árvores somente em uma noite. "As quedas se deram pelo volume de água, que amoleceram a terra, e com o peso, elas cederam. Se fosse por conta de ventos fortes, teríamos mais casos", explica.

Um dos fatores que podem minimizado os impactos foi as retiradas de aproximadamente 400 árvores condenadas no decorrer de 2017. Outras situações atendidas, foram princípio de alagamentos nas residências, devido às calhas entupidas com folhas da temporada da estiagem. "É preciso fazer a manutenção para não termos surpresas", alerta.

De acordo com o coordenador, os próximos dias serão frios, com mínimas previstas de 6º C para esta sexta, 10, e sábado, 11. Segundo o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), as chuvas poderão voltar na próxima quarta-feira, 15.


TEMPORAL. Precipitações são bem mais que o dobro da média prevista para o mês


Participe e comente