Mais de 27 anos depois, um homem confessou que sequestrou, estuprou e matou um menino de 11 anos em uma estrada rural de Minnesota, nos Estados Unidos. A confissão foi feita por Danny Heinrich, que contou os detalhes do crime em um tribunal na terça-feira (6), e pôs fim ao mistério que se arrastava desde 1987: o que aconteceu com Jacob Wetterling depois de ter sido levado por um mascarado segurando uma arma?

Heinrich, de 53 anos, admitiu ser culpado de acusações federais de pornografia infantil. O homem disse ao tribunal que abusou sexualmente do menino na área rural de Paynesville, perto de onde o agressor morava com o pai.

O acusado relatou que, durante o ataque, Jacob disse que estava frio e queria ir para casa. Mais tarde, Heinrich ouviu sirenes e pensou que a polícia o tinha encontrado. Em pânico, sacou o revólver enquanto o menino estava de costas. Puxou o gatilho, mas a arma não disparou. Na segunda tentativa, atingiu a criança na parte de trás da cabeça. Após um terceiro tiro, Jacob desmaiou.

Então, enterrou o menino a cerca de cem metros dali e camuflou a área com folhas e galhos. Um ano depois, enquanto dirigia perto do local em que escondeu o corpo, notou que a blusa vermelha de Jacob estava saindo da sepultura, e decidiu transferir os restos mortais dele para uma fazenda nas proximidades.

Heinrich também disse que atacou sexualmente outro garoto de Minnesota, de 12 anos, Jared Scheierl, nove meses antes de Jacob desaparecer. Jared sobreviveu.

No entanto, Heinrich nunca foi acusado da morte de Jacob, embora fosse uma das primeiras pessoas interrogadas pelos investigadores. Manteve a inocência por anos, e os promotores nunca tiveram provas suficientes para incriminá-lo.

Ontem, Heinrich foi questionado no tribunal se havia sequestrado, estuprado e assassinado Jacob. "Sim, fui eu", confirmou, e os pais de Jacob, Patty e Jerry Wetterling, estavam presentes.

Alguns dos parentes do menino choraram diante da confissão.

"É incrivelmente doloroso saber dos últimos dias, últimas horas, últimos minutos dele", disse Patty, após a admissão da culpa. "Para nós, Jacob estava vivo, até que o encontramos".

A confissão era parte de um acordo judicial com os promotores federais sobre as acusações de pornografia infantil. Como parte do pacto, Heinrich não será incriminado pelo assassinato de Jacob ou o ataque a Jared. A sentença dele deve sair em novembro, e a pena máxima é de 20 anos.

"Danny Heinrich já não é uma pessoa de interesse", disse o procurador Andy Luger em um comunicado. "Ele é o assassino confesso de Jacob Wetterling e quase 27 anos depois de ter cometido este crime hediondo, foi levado à Justiça. E Jacob está finalmente em casa. "

E Jacob é finalmente em casa. "

O testemunho de Heinrich coroou uma semana de acontecimentos dramáticos no caso de Jacob, que começou na semana passada quando Heinrich levou os investigadores ao corpo do menino em um campo em Paynesville.

Em 22 de outubro de 1989, Jacob foi sequestrado por um homem usando uma máscara e segurando uma arma. O garoto de 11 anos estava andando de bicicleta com outros dois meninos. O homem armado disse ao trio para deitar de bruços em uma vala e dizer-lhe as suas idades. Então, pegou Jacob e disse aos outros dois para correrem e não olharem para trás.

Nos anos que se seguiram, a polícia investigou mais de 50.000 pistas sobre o caso.

A cada 22 de outubro, data do desaparecimento de Jacob, os moradores de Minnesota deixavam as suas luzes das varandas acesas. Fizeram o mesmo no fim de semana do Dia do Trabalho, após as notícias do fim do caso.

Patty Wetterling usou o desaparecimento do filho para fazer lobby por melhores leis de rastreamento criminosos sexuais e ordenar recursos para encontrar rapidamente crianças desaparecidas.

As informações são do The Washington Post.


Participe e comente