Dois caças chineses interceptaram um avião militar dos Estados Unidos no Mar da China Oriental esta semana, afirmou hoje as forças armadas norte-americanas, descrevendo o encontro como "não profissional".

As aeronaves, dois caças Sukhoi-30, se aproximaram de um avião de vigilância WC-135 da Força Aérea dos EUA em espaço internacional. Os dois países mantém conversas em privado para tratar do assunto.

O ministério da Defesa da China não respondeu aos pedidos da reportagem. Já o ministério de Relações Exteriores divulgou nota confirmando atividades norte-americanas "próximo do território chinês, o que pode ter levado a algum erro de cálculo entre as partes".

"A reação foi considerada não profissional dadas as manobras do piloto chinês e a velocidade de aproximação dos caças", afirmou a coronel Lori Hodge, porta-voz da Força Aérea.

O WC-135 é usado para identificar remanescentes de detonações nucleares em tempo real, de acordo com documentos militares, capturando partículas no ar.

Tanto Pequim quanto Washington estão alertas para a possibilidade de um novo teste nuclear da Coreia do Norte após uma série de testes balísticos este ano. Em janeiro, o líder Kim Jong Un indicou que pretende desenvolver um míssil capaz de levar uma ogiva até os Estados Unidos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Participe e comente